Chanceler alemã pede defesa fronteiras externas da UE

Angela Merkel quer evitar o "regresso dos nacionalismos"

A chanceler alemã pediu hoje, em Roma, aos homólogos europeus a "defesa das fronteiras externas da União Europeia" para evitar um "regresso aos nacionalismos".

"Do Mediterrâneo ao polo Norte", esta defesa das fronteiras da UE constitui um "desafio para o futuro da Europa", acrescentou Angela Merkel, durante uma conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi.

Merkel sublinhou que em jogo estava "a livre circulação" na Europa, tal como a UE a conheceu com os acordos de Schengen.

Renzi insistiu na necessidade de ter "uma estratégia para África", como aconteceu para resolver o problema da "rota dos Balcãs", que levava centenas de milhares de refugiados da Turquia para a Grécia.

"Não concordámos sobre as formas de financiamento" da estratégia para limitar a migração, o documento "Migration Compact" proposto pela Itália, reconheceu Renzi, uma vez que "a Alemanha recusou" financiar os países africanos de origem e de trânsito dos migrantes.

Para o chefe do executivo italiano, "o importante é investir em África", dado que os migrantes provenientes deste continente são a maioria do contingente de chegadas à península itálica.

"A Itália defende uma estratégia a longo prazo e cabe à UE assumir a liderança", acrescentou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG