Exclusivo "Casos de aviões atingidos por mísseis são dos mais fáceis de investigar"

Com máquinas "cada vez mais perfeitas", diz um perito ao DN, os acidentes têm cada vez mais a ver com causas humanas ou com "coisas externas à aviação". Como um míssil - caso do desastre no Irão.

"Um caso como o que sucedeu com o Boeing 737 ucraniano no Irão acaba por ser relativamente fácil de investigar", diz ao DN um perito em investigação de desastres aéreos. "Em primeiro lugar porque estava tudo bem com o avião - não havia comunicações da tripulação em contrário e as máquinas a bordo, que estão sempre a dar informação sobre a localização e o funcionamento da aeronave, também não deram qualquer indicação de anomalia. E de repente o avião desaparece. Tem de haver uma causa exterior à aviação a explicar isso."

Por outro lado, prossegue este engenheiro aeronáutico, "uma explosão no ar devido a um míssil ou a uma detonação de uma bomba deixa marcas claras na aeronave, ou seja, nos destroços, e nos corpos das vítimas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG