Acabou a peregrinação. Casa onde Hitler nasceu vai ser demolida

A casa tornou-se um local de adoração para neo-nazis de todo o mundo, que todos os anos fazem uma peregrinação no aniversário de Hitler. Agora acaba a adoração e peregrinação

A casa onde Hitler nasceu em 1889 em Braunau am Inn, na Áustria, vai ser demolida. O anúncio foi feito esta segunda-feira pelo ministro do Interior austríaco Wolfgang Sobotka, após um longo período de indecisão quanto ao destino da casa.

"A casa do Hitler vai ser demolida. Vão manter-se as infraestruturas e um novo edifício vai ser erguido", afirmou o ministro do Interior, segundo a BBC. "[O novo edifício] vai ser usado por uma instituição de caridade ou autoridade local".

O primeiro passo vai ser dado em breve. Ainda este mês, o parlamento austríaco deverá aprovar a expropriação do edifício das mãos de Gerlinde Pommer, a dona da casa, segundo o Deutsche Welle. A casa onde Hitler nasceu pertence à família de Pommer há mais de um século.

O prédio está vazio desde 2011, o que criou uma oportunidade para neo-nazis de todo o mundo o usarem como local de adoração e peregrinação. Todos os anos a 20 de abril, data do aniversário de Hitler, vários apoiantes de extrema-direita se reúnem à porta do edifício para tirar fotografias, segundo o jornal Deutsche Welle.

A demolição da casa não é bem vista por todos os 17 mil habitantes da cidade de Braunau am Inn e tem provocado um debate no país. Se uns acreditam ser o melhor para afastar os neo-nazis do local, outros dizem que não vai fazer diferença.

Rotraud Steiger vive em frente à casa de Hitler há mais de 50 anos e é contra a demolição. "Não vai mudar a história, pois não? Acho que não tem sentido", contou a mulher numa reportagem do jornal Deutsche Welle. Steiger disse ainda que Hitler apenas viveu na casa durante alguns dias quando era bebé e que preferia que esta se tornasse um memorial.

Martin Simbock, dono da tabacaria que se encontra perto da casa, também acredita que o edifício deveria ser transformado num memorial e que demoli-lo será inútil.

"Mesmo que eles transformem [o edifício] num buraco as pessoas vão continuar a saber o que era antes", afirmou Martin ao Deutsche Welle. "O edifício não deveria ser derrubado mas sim usado de uma forma responsável, para educar pessoas".

Em frente à casa está uma placa retirada do campo de concentração de Mauthausen, que diz "Pela paz, liberdade e democracia. Fascismo nunca mais. Milhares de mortos são um aviso".

A casa foi comprada pelo regime Nazi e, depois da II Guerra Mundial, foi devolvida a família de Pommer, em 1952.

Em 1972, o governo austríaco assinou um contrato de concessão com Pommer para o edifício ser transformados num centro para pessoas com deficiências, mas em 2011, Gerlinde Pommer cancelou o contrato devido a uma disputa sobre as renovações necessárias para tornar o prédio mais acessível a pessoas com dificuldades motoras.

Nos últimos anos, Gerlinde Pommer tem pago uma renda mensal de 4800 euros pela casa de Hitler, segundo a BBC, e o facto de o estado querer retirar-lhe a propriedade também está a indignar os austríacos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG