Casa Branca recusa-se a participar em investigação para destituir Trump

Casa Branca informa Congresso que se recusa a participar no inquérito em curso para um eventual processo de destituição do Presidente norte-americano, alegando que não tem legitimidade.

A Casa Branca anunciou hoje que não participará no inquérito que está a ser feito ao presidente Donald Trump no sentido da sua eventual destituição por não ter legitimidade.

"Como não tem fundamento constitucional legítimo ou a menor aparência de imparcialidade (...), o poder executivo não pode ser obrigado a participar", escreveu Pat Cipollone, advogado e conselheiro da Casa Branca, numa carta enviada à presidente democrata da Câmara dos Representantes.

Na carta aos democratas do congresso, os advogados do presidente Trump disseram que o presidente e seu governo não cooperarão em nenhuma investigação de impeachment, argumentando que o processo equivale a um esforço ilegítimo para reverter os resultados das eleições de 2016.

Na carta à Casa Branca os democratas alegavam que Trump não tinha outra escolha senão em cooperar. "Por essas razões, o presidente Trump e o seu governo rejeitam os esforços inconstitucionais e infundados para derrubar o processo democrático. A fim de cumprir seus deveres com o povo americano, a Constituição, o Poder Executivo, e todos os futuros ocupantes do Gabinete da Presidência, o Presidente Trump e seu governo não podem participar de sua investigação partidária e inconstitucional nessas circunstâncias, referia a carta da Casa Branca.

Exclusivos