Cantora tailandesa pede desculpa por usar T-shirt com suástica

Um dos membros do grupo musical tailandês BNK48 entrou em palco com uma camisola onde estava impressa o símbolo nazi.

Os fãs (e a internet) não perdoaram Pichayapa "Mansai" Natha, membro da banda BNK48, uma das bandas pop mais populares da Tailândia. Durante um ensaio do grupo transmitido na televisão, a cantora entrou em palco com uma camisola com uma suástica, um símbolo nazi. Agora, de acordo com a BBC, Pichayapa está a pedir publicamente desculpa, alegando não conhecer o significado da cruz.

Nas redes sociais, as reações não demoraram muito a aparecer. Vários utilizadores do Twitter partilharam fotografias do momento em que a artista chegou a palco. Outros até satirizaram a situação com ilustrações. Numa delas, a cantora aparece "entre" o que parece ser um grupo de judeus a ser conduzido para os campos de concentração, vestida com um fato de cheerleader com uma suástica inscrita, a perguntar "Pareço gira com esta bandeira nazi?".

As fotografias de Pichayapa "Namsai" Natha também não agradaram a embaixada israelita, que rapidamente expressou o seu "choque e desânimo". O vice-embaixador de Israel na Tailândia, Smadar Shapira, disse que "apresentar símbolos nazis feriu os sentimentos de milhões (de pessoas) em todo o mundo, cujos parentes foram assassinados (durante o Holocausto)".

Contudo, alguns fãs saíram em defesa da banda, alegando que a artista não sabia o que significa este símbolo.

Os membros do grupo BNK48 admitiram, em comunicado, que a "roupa incluía uma impressão inapropriada" que "causou desalento e aflição para as pessoas afetadas pelo evento passado". Pichayapa garantiu que a banda "fará todos os esforços para garantir que um incidente desse tipo nunca mais aconteça novamente".

Na sua conta de Instagram, prometeu que a situação não se voltaria a repetir.

Perante as críticas, a cantora de 19 anos decidiu encontrar-se com o embaixador para deixar pessoalmente o seu pedido de desculpa e, num espetáculo que decorreu sábado, aproveitou ainda para se desculpar aos fãs.

A banda concordou em participar numa oficina educacional sobre o Holocausto para aumentar a consciencialização sobre o tema.

Mas não é a primeira vez que imagens relacionados com o Holocausto e movimentos nazi geram protestos na Tailândia.

Ainda em 2013, alguns estudantes da Universidade Chulalongkorn decidiram pintar um mural com o rosto de Hitler ao lado de super-heróis como Batman. Também em 2016, durante um evento de cosplay, um rapaz vestiu-se de Adolf Hitler e os seus colegas receberam-no com uma saudação nazi.

Este domingo, dia 27 de janeiro, na Alemanha e muitos outros países celebra-se o Dia Internacional da Memória das Vítimas do Holocausto.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG