Cada vez mais perto do apocalipse, segundo o relógio do Juízo Final

As ameaças nucleares e as alterações climáticas contribuíram para esta avaliação

É uma formalidade meramente simbólica, mas que reflete um ponto de vista acerca da situação global. A hora do relógio do Juízo Final (Doomsday Clock, no original) foi atualizado hoje e revelou que estamos a dois minutos da meia-noite, a hora que representa o apocalipse. Nunca, desde 1953, quando se estava em plena guerra fria, se estivera tão perto dessa hora.

Responsabilidade do Bulletin of the Atomic Scientists, este relógio é atualizado anualmente em função do que se passa no mundo. Este ano, tal como no anterior, a meia-noite está mais próxima trinta segundos do que estava. E isso é mau; porque quanto mais perto da meia-noite pior. A responsabilidade volta a ser de Donald Trump, bem como de outros líderes mundiais, que não conseguiram travar a ameaça nuclear ou as alterações climáticas.

Até hoje só houve um momento em que o mundo esteve tão perto do fim como agora. Foi em 1953, depois de a 7 janeiro Harry Truman ter anunciado ao Congresso que os EUA tinham desenvolvido a bomba de hidrogénio.

Em sentido contrário, o ano em que o planeta esteve mais distante do Juízo Final foi 1991, após o fim da guerra fria e a queda do muro de Berlim.

Nos últimos anos, o ponteiro tem-se vindo a aproximar perigosamente da meia-noite. Em 2015, o grupo de cientistas responsável pela iniciativa decidiu adiantar dois minutos o ponteiro pela "probabilidade de uma catástrofe global" ser muito alta.

Em janeiro de 2016 os ponteiros do relógio não se mexeram e mantiveram-se a três minutos do apocalipse, mas no ano passado a distância para a meia-noite reduziu para dois minutos e meio, devido a Donald Trump e a decisões que tomou e declarações que fez, nomeadamente sobre o arsenal nuclear dos Estados Unidos ou sobre as alterações climáticas.

O grupo foi criado em 1945 por cientistas da Universidade de Chicago que criaram as primeiras armas atómicas. Autointitularam-se de Boletim de Cientistas Atómicos e dois anos depois começaram com o relógio do "Juízo Final". Nessa época indicava que faltavam sete minutos para a meia-noite.

Os 17 minutos da meia-noite registados em 1991, ano em que EUA e URSS assinaram o Tratado de Redução de Armas Estratégicas, foram o mais distante que o relógio esteve da meia-noite.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG