Caçador morre esmagado por elefante que tinha sido baleado

Homem organizava safaris para caçar em vários países

Um caçador sul-africano morreu no Zimbabué na sexta-feira, esmagado por um elefante que tinha sido alvejado por outro caçador. Theunis Botha, de 51 anos, organizava safaris para caçar e morreu no Parque Nacional Hwange, um local que visitava frequentemente.

Segundo o jornal sul africano News 24, Botha e um cliente encontraram uma manada de elefantes. Um dos elefantes, inesperadamente, pegou em Botha com a tromba e o cliente deste disparou sobre o animal. Quando o elefante sucumbiu ao disparo, Botha acabou por ficar esmagado.

Botha era dono da empresa Theunis Botha Big Game Safaris e levava turistas para o Zimbabué, Moçambique e África do Sul caçar leopardos, girafas, elefantes, leopardos, leões, crocodilos e búfalos. No site da empresa, lê-se que começara o negócio em 1989.

O homem, que deixa cinco filhos, caçava principalmente leões e leopardos.

O homem morreu no mesmo parque onde o leão Cecil foi morto em 2015 por um dentista dos Estados Unidos. Segundo a imprensa local, Botha era amigo de Scott Van Zyl, o caçador cujos restos mortais foram encontrados dentro de crocodilos no mês passado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG