Bulgária disposta a dar cidadania aos britânicos residentes

No país viverão cerca de sete mil cidadãos do Reino Unido, uma grande parte são reformados que estão nas áreas rurais perto de Sofia

O primeiro-ministro da Bulgária, Boiko Borisov, declarou-se hoje disposto a conceder a nacionalidade búlgara aos britânicos residentes no país após o referendo em que uma maioria dos cidadãos do Reino Unido votou para abandonar a União Europeia.

"Provavelmente (os britânicos residentes) solicitarão a nacionalidade búlgara e nós estamos abertos a isso. São bem-vindos à Bulgária", declarou Borisov a jornalistas.

Segundo dados da embaixada britânica, neste país balcânico membro da UE vivem cerca de 7.000 cidadãos do Reino Unido, uma grande parte dos quais reformados que habitam em áreas rurais perto da capital, Sofia.

Como consequência do 'Brexit' e da desvalorização da libra, alguns especialistas preveem um aumento do número de turistas britânicos na Bulgária.

"Sempre que a economia do Reino Unido está em crescimento os seus cidadãos escolhem destinos de prestígio e quando está em crise optam por destinos de baixo custo", declarou à agência noticiosa estatal BTA Rumen Draganov, um especialista do setor.

Na sua opinião, depois do 'Brexit', os britânicos ficarão mais pobres e, por isso, grande parte deles escolherá a Bulgária para passar férias a partir de 2017, em vez da França, Alemanha ou Espanha.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.