Brexit. Polónia propõe limitar backstop a cinco anos

O ministro dos Negócios Estrangeiros polaco propõe uma limitação temporal ao mecanismo de salvaguarda. Mas os irlandeses rapidamente rejeitaram a ideia.

O impasse do Brexit poderia ser resolvido se a Irlanda estivesse disposta a aceitar um mecanismo de salvaguarda (backstop) limitado no tempo, até cinco anos, segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros polaco, Jacek Czaputowicz.O dirigente defende "ações corajosas" para encontrar um acordo relativo à saída do Reino Unido da UE. .

"Se a Irlanda desse um sinal à UE sobre a alteração do acordo com o Reino Unido no que diz respeito às disposições sobre o backstop, de modo a que se aplicasse apenas temporariamente - digamos cinco anos - a questão ficaria resolvida", disse Czaputowicz ao jornal Rzeczpospolita.

Até agora, os restantes líderes da UE têm apoiado em uníssono a ideia da Comissão Europeia e de Dublin para que o mecanismo inscrito no acordo de retirada se aplique de forma indefinida se não for possível encontrar outra solução que impeça a necessidade de uma fronteira física.

Czaputowicz disse que havia dado a sugestão em dezembro aos homólogos do Reino Unido e da Irlanda, Jeremy Hunt e Simon Coveney.

Coveney, porém, disse que a ideia resulta. "[Czaputowicz] mencionou esta questão quando visitou Dublin, em dezembro", disse o ministro irlandês, em resposta aos jornalistas em Bruxelas. "Deixei bem claro que estabelecer um limite de tempo para um mecanismo de garantia, é isso que é o backstop, significa efetivamente que não é de todo um backstop. Não creio que isso reflita o pensamento da UE em relação ao acordo de saída."

O acordo do Brexit foi rejeitado por uma margem recorde de 230 votos na Câmara dos Comuns na semana passada, com muitos conservadores a votarem contra porque veem no backstop uma forma de o Reino Unido não conseguir separar-se da UE.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG