Bolsonaro diz que Moro pediu "liberdade total" no combate à corrupção

O Presidente brasileiro eleito afirmou esta quinta-feira ter concordado a "100%" com os pedidos do juiz Sérgio Moro para o Ministério da Justiça, entre os quais "liberdade total" para combater a corrupção e o crime organizado.

"Conversamos por uns 40 minutos e ele [Moro] expôs o que pretende fazer caso seja ministro e eu concordei a 100% do que ele propôs. Ele queria liberdade total para combater a corrupção e o crime organizado, e um ministério com poderes para tal", disse Jair Bolsonaro à imprensa brasileira.

O recém-eleito Presidente disse ainda que Moro "vai ser um ministro importante. Qualquer pessoa que apareça no noticiário policial vai ser investigada e não terá qualquer interferência da minha pessoa", acrescentou.

O juiz Sérgio Moro viajou hoje para o Rio de Janeiro onde afirmou ter aceitado o convite de Bolsonaro para o cargo de ministro da Justiça para afastar o risco de retrocesso no combate à corrupção no país.

Sergio Moro ficou amplamente conhecido no Brasil por julgar os casos da operação Lava Jato, uma investigação policial que desvendou dezenas de esquemas de corrupção na petrolífera estatal Petrobras e em outros órgãos públicos do país.

O próximo ministro da Justiça brasileiro é responsável por sentenças de condenação de grandes empresários, ex-funcionários da Petrobras.

Foi também responsável pela condenação, em primeira instância, do antigo Presidente Luís Inácio Lula da Silva num caso relacionado com a titularidade de um apartamento de luxo na costa do Estado de São Paulo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG