Brasileiros pedem impeachment de Bolsonaro por vídeo obsceno no Twitter

Em causa, a publicação pelo presidente de um vídeo obsceno como crítica ao Carnaval de rua brasileiro. Oposição fala em "falta de decoro" que, no limite, justifica perda de mandato. Apoiantes do governo contra-atacam

O tópico #ImpeachmentBolsonaro lidera a lista dos assuntos mais comentados no Twitter brasileiro desde a madrugada de quarta-feira, em resposta ao vídeo com conteúdo obsceno reproduzido na rede social pelo presidente na noite de terça-feira.

Ao pretender criticar o Carnaval de rua, Jair Bolsonaro publicou imagens de um homem a colocar o dedo no próprio ânus e de outro a urinar-lhe por cima no carnaval de São Paulo. O vídeo, considerado de conteúdo restrito, foi removido pelo Twitter. Utilizadores do Twittercriticaram o uso do vídeo, sem o filtro que identifica matéria de uso sensível, e lembraram o artigo da constituição em que "falta de decoro" é considerado crime de responsabilidade e, portanto, passível de impeachment.

Além do vídeo, Bolsonaro tem na sua conta oficial outro tweet a dizer "o que é golden shower?".

Líderes da oposição classificaram a divulgação do vídeo como conduta incompatível com o cargo e avaliam a possibilidade de tomar atitudes em relação ao episódio. "Não podemos descartar a possibilidade de solicitar até um teste de sanidade mental", disse o líder parlamentar do PT na Câmara dos Deputados Paulo Pimenta.

"Os tweets de Bolsonaro são, do início ao fim, incompatíveis com o cargo que ocupa. Um presidente tem obrigação de agir com um mínimo de decoro. Ele demonstra não ter postura ou responsabilidade. Totalmente sem noção. É inacreditável", acrescentou Alessandro Molon, do PSB.

O caso chegou a ser comparado ao episódio de há 25 anos em que o então presidente Itamar Franco foi filmado durante o Carnaval ao lado de uma modelo, Lilian Ramos, que não usava roupa interior. Na ocasião, o impeachment chegou a ser abordado.

Os apoiantes de Bolsonaro - cuja hashtag#opresidentetemrazao segue em segundo lugar no Twitter do Brasil - reagiram em sua defesa. A deputada Bia Kicis, do PSL, escreveu que "quem denigre a imagem e a cultura do povo são vocês". "O presidente é nosso mandatário para resgatar-nos da lama em que a esquerda nos jogou, essas cenas aviltam os meus olhos, a minha alma e o meu senso de dignidade. Não consigo ver mais do que alguns segundos. Quem são essas pessoas, meu Deus! Que doença terrível o esquerdismo!".

Bolsonaro escrevera no texto de apoio às imagens o seguinte texto: "Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro. Comentem e tirem suas conclusões".

O presidente, que foi um dos alvos preferenciais nos blocos de carnaval de rua em todo o país, publicou ainda uma marcha de Carnaval, interpretada por um cantor desconhecido, em que ataca Daniela Mercury e Caetano Veloso, músicos que se declararam contrários ao governo durante as festas.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG