Bombista em série é o principal suspeito das explosões em Austin

Duas pessoas morreram num dos quatro ataques deste mês, no Texas

A polícia de Austin, no Texas, acredita que as quatro explosões que abalaram a cidade este mês, e que resultaram na morte de duas pessoas, são todas obra de um bombista em série.

A última explosão aconteceu na noite de domingo, e causou ferimentos em dois homens, com 22 e 23 anos. Outras três bombas foram deixadas à porta de residências, como se fossem encomendas, causando a morte de duas pessoas e ferindo outras duas.

"Estamos claramente a lidar com o que acreditamos ser um bombista em série", disse o chefe da polícia de Austin, Brian Manley, numa conferência de imprensa, esta segunda-feira.

"Vimos semelhanças nos dispositivos que explodiram na noite passada e nos outros três dispositivos", disse o responsável, citado pela BBC.

As vítimas da noite de domingo sofreram ferimentos leves depois de terem sido atingidas por um dispositivo suspeito que explodiu junto a uma estrada numa zona residencial, de acordo com a polícia.

A última explosão aconteceu horas depois das autoridades anunciarem uma nova recompensa de 100 mil dólares por informações relacionadas com os ataques.

Os dois homens mortos no início deste mês, após a explosão de uma das bombas, eram afro-americanos, mas a polícia já descartou a hipótese de serem ataques racistas. No entanto, a polícia apelou apelou para aqueles que estão atrás dos ataques, para entrarem em contacto direto com as autoridades.

Centenas de agentes federais estão a ajudar a polícia local na investigação, mas não houve ainda nenhuma detenção. As autoridades dizem ter respondido a 735 denúncias de objetos suspeitos desde a última segunda-feira.

A 2 de março, um homem de 39 anos morreu devido à explosão de uma bomba, no leste de Austin, enquanto a 12 de março, mais duas explosões causaram a morte de um jovem de 17 anos e ferimentos a duas mulheres, num outro bairro também no subúrbio no leste da cidade.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG