Bolsonaro recebe assessor de Trump com uma continência e um café

John Bolton, conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, esteve reunido com o presidente eleito no Rio de Janeiro. Convidou-o para um encontro com Trump.

Jair Bolsonaro, que toma posse a 1 de janeiro como presidente do Brasil, recebeu o conselheiro de Segurança Nacional de Donald Trump, John Bolton, na sua casa do Rio de Janeiro com uma continência.

Num vídeo do início do encontro, divulgado pelo correspondente da Reuters, vê-se como Bolsonaro recebe Bolton à entrada da sua casa, na Barra da Tijuca. O conselheiro de Segurança Nacional de Trump chegou pelas 6.54 locais, fazendo escala no Brasil antes de seguir para a cimeira do G20, que vai decorrer esta sexta-feira e sábado em Buenos Aires.

No vídeo, Bolton cumprimenta Bolsonaro que o convida para tomar um café, em português. A reunião de ambos durou menos de uma hora.

Bolsonaro publicou uma foto do encontro no Twitter, dizendo ter tido uma "muito producente e grata reunião" com Bolton. Mais tarde, disse ter discutido com ele como melhorar as relações comerciais entre os dois países, abordando também o tema de Cuba e de Israel.

Também Bolton publicou imagens da reunião, indicando ter tido "uma discussão muito ampla e produtiva" com Bolsonaro e tê-lo convidado, em nome de Trump, para visitar os EUA. "Estamos desejosos de uma parceria dinâmica com o Brasil", indicou no Twitter.

Antes de deixar os EUA, Bolton tinha classificado de "oportunidade histórica" a eleição do novo presidente brasileiro e disse que Bolsonaro já começou a desenvolver "um relacionamento pessoal" com Trump.

"Meu encontro com o presidente eleito Bolsonaro é resultado da chamada do presidente Trump para lhe dar os parabéns, no dia 28 de outubro", disse Bolton, numa conferência de imprensa na Casa Branca.

"Eles tiveram um telefonema realmente excelente e acho que desenvolveram um relacionamento pessoal, mesmo remotamente", acrescentou. Bolton salientou que Trump foi "o primeiro líder estrangeiro a ligar para Bolsonaro" depois de sua vitória eleitoral, e espera que ambos possam levar o relacionamento bilateral a um novo nível.

"Vemos isso como uma oportunidade histórica para o Brasil e os Estados Unidos trabalharem juntos em várias áreas, como economia, segurança e outras", disse Bolton.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG