Blair avisa: Se Reino Unido sair da UE, a Escócia sairá do Reino Unido

Ex-primeiro-ministro britânico deixou alerta numa entrevista à rádio francesa Europe 1.

Tony Blair, chefe do governo britânico entre 1997 e 2007, trabalhista, considera que um eventual Brexit dará novo fôlego aos nacionalistas escoceses e fará com que tentem de novo a independência. "Em meu entender, se o Reino Unido votar pela saída da União Europeia, a Escócia votará pela saída do Reino Unido", declarou o ex-governante, em entrevista à rádio francesa Europe 1. As declarações de Blair surgem numa altura em que uma sondagem ORB, para o jornal 'Independent', mostrou que 52% dos britânicos aprova a saída do país da UE no referendo prometido por David Cameron.

O atual primeiro-ministro britânico prometeu, para 2017, um referendo sobre a permanência do Reino Unido na UE, mas já deu a entender que este poderia ser antecipado, possivelmente para este verão. Mas primeiro Cameron quer cedências dos seus parceiros europeus no que toca a reformas na UE, sobretudo no processo de decisão que considera afetar a soberania dos Estados. O líder britânico gostaria de ter um acordo no Conselho Europeu de 18 e 19 de fevereiro, mas adivinha-se difícil que muitos dos restantes líderes aceite aquela que é uma das suas exigências mais controversas: impedir que os imigrantes no Reino Unido tenham acesso a benefícios sociais nos primeiros quatro anos de permanência no país.

Neste contexto, Cameron reúne-se na sexta-feira com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, tendo cancelado por causa disso uma viaja que tinha agendada à Suécia e à Dinamarca, anunciou hoje uma porta-voz que foi citada pela agência noticiosa Reuters.

Pressionado pela ala eurocética do Partido Conservador e pelo partido Ukip, de Nigel Farage, Cameron terá que obter um acordo considerado suficientemente bom para evitar a vitória do Brexit, ou seja, do Sim à saída do Reino Unido da União Europeia.

Num tal cenário, os nacionalistas escoceses, que no referendo de 18 setembro de 2014 viram o Sim à independência ser derrotado pelo Não - num resultado de 44,7% contra 55,3% - poderão tentar repetir a consulta popular sobre uma Escócia independente. Nesse sentido falou já um ex-líder do Partido Nacionalista Escocês (SNP), Gordon Wilson, afirmando: "Eu próprio ainda não decidi como vou votar no referendo [sobre o Reino Unido e a UE]. Quero olhar para isso de forma estratégica e do ponto de vista do SNP. Tudo depende de qual a melhor maneira de a Escócia chegar à independência".

Apesar disso, Nicola Sturgeon, atual primeira-ministra da Escócia e líder do SNP, indicou que apoia a permanência na União Europeia e as sondagens revelam que a maioria dos cinco milhões de escoceses também apoiam a posição da sua governante.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG