Bercow chamado a desempatar votação no Parlamento

Protagonismo do presidente da Câmara dos Comuns reforçado por acaso: deputados empataram votação sobre nova ronda de votos indicativos e John Bercow foi chamado a acabar com o impasse num raro momento parlamentar.

"De acordo com o precedente, e com base no princípio de que as decisões importantes só devem ser tomadas por uma maioria, votarei do lado do Não." Foi desta forma que John Bercow explicou a sua decisão enquanto presidente do Parlamento de se opor a nova ronda de votos indicativos, depois de a Câmara se ter dividido em 310 votos a favor e outros tantos contra.

Em jogo estava a votação, na próxima segunda-feira, e pela terceira vez, de votos indicativos sobre que saída dar ao Brexit, depois de por duas vezes os deputados não terem chegado a maioria sobre qualquer votação.

John Bercow recordou que foi em 1993 a última vez que o speaker foi chamado a desempatar uma votação. Também então o empate deu-se sobre um tema europeu - uma emenda apresentada pela oposição ao capítulo social do Tratado de Maastricht e a presidente Betty Boothroyd votou contra.

Minutos depois, Bercow escapou por um voto a ter de intervir de novo. A emenda apresentada pela trabalhista Yvette Cooper para debater e votar uma lei para obrigar a primeira-ministra a apresentar uma extensão do Artigo 50.º do Tratado de Lisboa e a evitar uma saída sem acordo foi aprovada com 312 votos a favor e 311 contra.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, veio hoje baixar as expectativas quanto a uma nova extensão curta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG