Ban Ki-moon diz que esta é uma "crise de solidariedade" mais do que de refugiados

O secretário geral da ONU esteve com o ex-presidente Jorge Sampaio à conversa com estudantes sírios no Museu do Oriente em Lisboa.

Para Ban Ki-moon mais do que "uma crise de refugiados, há uma crise de solidariedade". O sul-coreano que está a terminar o segundo mandato como secretário-geral da ONU falava ontem em Lisboa no final de um encontro com estudantes sírios, patrocinado pelo ex-presidente Jorge Sampaio.

Dezasseis estudantes sírios, oito deles mulheres e duas com véu, partilharam com Ban Ki-moon a sua experiência de estudantes em Portugal. E agradeceram a oportunidade de poderem continuar a estudar para um dia ajudarem a reconstruir o seu país, hoje em guerra.

A assistir estava o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, que foi muito saudado por Ban Ki-moon porque ambos já tinham estado antes a discutir esta questão dos refugiados.

Ban Ki-moon recordou que há 60 milhões de refugiados e deslocados no mundo, o número mais alto desde a II Guerra Mundial. E elogiou Portugal e o povo português pelo seu espírito de acolhimento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG