"Baleia voadora" XL entra ao serviço no final do ano

O primeiro dos cinco gigantescos aviões de carga da Airbus entra oficialmente ao serviço no final deste ano.

A versão XL do Airbus Beluga, popularmente conhecido como "baleia voadora" pelo seu aspeto, acaba de visitar pela primeira o Reino Unido e a fábrica da empresa aeronáutica no País de Gales.

O gigantesco avião de carga é uma adaptação do modelo A330 e vai substituir o Beluga (A300) que estava em atividade desde 1995, estando previstas apenas cinco unidades.

A sua missão é viajar entre as fábricas europeias da Airbus e as unidades finais de montagem em Toulouse (França), Hamburgo (Alemanha) e Tianjin (China), transportando as asas, painéis da fuselagem e componentes das várias séries de aviões comerciais.

Um desses locais de fabrico de peças está em Broughton, no País de Gales, onde o Beluga XL chegou pela primeira vez no final da semana passada e no âmbito dos testes iniciados em julho passado - com a realização do seu primeiro voo no dia 19 desse mês.

No aeroporto de Hawarden, junto do qual estão as instalações galesas da Airbus, sobressaíam os muitos spotters presentes para registar o voo, aterragem e descolagem daquele que é um dos maiores monstros voadores da atualidade.

Com mais seis metros de comprimento e um metro mais largo que o Beluga original, o Beluga XL "é icónico" para o fabricante europeu Airbus, disse à CNN o principal responsável pelo projeto, Bertrand Grosse.

"Este é o cavalo de batalha da Airbus, é mais do que um avião e o que permite que a Airbus construa aviões todos os dias", acrescentou Bertrand Grosse.

Equipado com dois motores Rolls Royce de 700 cavalos cada, a superbaleia voadora regista tempos semelhantes de voo face ao A330 de origem, explicou o chefe do projeto XL. "O que muda verdadeiramente é o comportamento na parte traseira, na parte inferior do compartimento de carga", o que levou a elevar o plano da cauda vertical em mais de dois metros.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG