Bombista suspeito de Austin tinha explosivos em casa

Mark Anthony Conditt morreu esta quarta-feira, possivelmente por ter detonado uma bomba quando a polícia se aproximava. É suspeito de ter causado explosões que mataram duas pessoas

As autoridades recuperaram explosivos artesanais na residência do homem suspeito de ter causado as explosões em Austin, nos Estados Unidos, que provocaram duas mortes e quatro feridos.

O Departamento Policial de Austin e as autoridades federais referiam que estão a trabalhar para "remover em segurança" os dispositivos encontrados na casa em Pflugerville, no norte de Austin.

O suspeito, Mark Anthony Conditt, morreu esta quarta-feira na explosão de uma das suas bombas, num parque de estacionamento de um motel de Austin, quando a polícia de intervenção se aproximava do carro em que se encontrava.

Conditt cresceu em Pflugerville, um subúrbio a nordeste de Austin, onde ainda morava depois de ter saído de casa dos pais. Pflugerville não fica longe do local da explosão da primeira bomba - a 02 de março, que resultou na morte de Anthony House, de 39 anos.

A polícia afirma que ainda não está clara a motivação dos crimes, e desconhece-se se Conditt conhecia alguma das vítimas.

O suspeito frequentou a universidade de 2010 a 2012, mas não concluiu os estudos, confirmou uma porta-voz da instituição. Trabalhou algum tempo numa empresa local e não tinha cadastro, informou o governador Greg Abbott à televisão KXAN-TV, em Austin.

Nas redes sociais, Conditt também deixou poucas pistas. Além de algumas fotografias de si mesmo e da família na rede social Facebook, Conditt escreveu algumas vezes num blogue. Em 2012, um bloguer identificado como Mark Conditt, de Pflugerville, escreveu que o casamento entre homossexuais deveria ser ilegal.

"A homossexualidade não é natural. Basta olhar para o corpo masculino e para o corpo feminino. Obviamente que foram desenhados um para o outro", escreveu Conditt. Noutros comentários, defendeu a pena de morte e a eliminação dos registos de pessoas condenadas por abusos sexuais.

Um dos vizinhos de Conditt em Pflugerville, Jeff Reeb, disse que viu Mark crescer (ao longo de 17 anos) e que este sempre lhe pareceu "inteligente" e "educado".

Reeb, de 75 anos, disse que Conditt brincou com o seu neto até ao secundário e que, depois disso, visitava regularmente os seus pais.

As autoridades acreditam que Conditt produziu todas as bombas detonadas e que, provavelmente, terá agido sozinho. No entanto, ainda estão a investigar sobre se terá recebido ajuda de alguém.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG