Autor do tiroteio na Florida fez comentários misóginos no YouTube antes do ataque

Duas pessoas morreram e outras ficaram feridas na sequência de um tiroteio num centro de yoga, na passada sexta-feira. Scott Paul Beierle já tinha sido identificado pelas autoridades por queixas de assédio sexual a mulheres.

Na passada noite de sexta-feira, na Florida, Estados Unidos, um estúdio de yoga num centro comercial foi invadido por um homem que atingiu a tiro seis pessoas e agrediu com a arma uma outra. O responsável pelas autoridades locais, Michael Deleo, confirmou a morte de duas das pessoas atingidas. O autor do tiroteio, identificado como sendo Scott Paul Beierle, 40 anos, acabaria por se suicidar mesmo antes da polícia chegar. De acordo com o The New York Times entretanto averiguou, no mesmo dia em que o atentado aconteceu, Scott tinha estado a publicar comentários racistas e misóginos em vídeos de YouTube de 2014.

Naquela noite, vídeos da plataforma intitulados de "O sofrimento do adolescente do sexo masculino" e "Perigos da diversidade" viam as suas caixas de comentário crescer com uma série de respostas do autor do tiroteio, antes deste acontecer. Scott expressou perceções depreciativas sobre relacionamentos inter-raciais e recordou experiências passadas com mulheres que o rejeitaram.

"Marquei um encontro e não apareceu", teria começado por relatar. "Marquei outro, não apareceu. Continuei a inventar desculpas. Ah, eu poderia ter arrancado a cabeça dela", continuou. "Não acho que uma mulher possa entender a pressão social que é colocada sobre um adolescente para se livrar deste estigma que a sociedade coloca nele. Esse fardo da virgindade", explicava.

De acordo com as autoridades, Scott Paul terá atuado sozinho e ainda não foram apurados os motivos do ataque. Sobre o homem em questão sabe-se apenas que era um veterano do Exército, graduado pela Universidade Estatal da Florida e que já tinha sido identificado por queixas de assédio sexual na área de Tallahassee, onde estava localizado o estúdio de yoga. Teria estado, na altura do ataque, estaria hospedado num hotel local.

Nancy Van Vessem, de 61 anos, e Maura Binkley, de apenas 21, são as vítimas mortais deste acontecimento. Nancy era médica e diretora do Capital Health Plan. A instituição descreve a profissional como uma pessoa com forte sentido de "servir o bem estar e a saúde" das famílias da comunidade. Ambas as vítimas estavam ligadas à Universidade da Florida, Maura como estudante e Nancy como membro dos quadros.

A polícia de Tallahassee ainda não conseguiu estabelecer qualquer ligação entre estas e o atirador.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG