Autor da agressão é da família de Rajoy

Mariano Rajoy já revelou que não vai apresentar queixa contra o jovem que o esmurrou em Pontevedra

O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, afirmou hoje que não vai apresentar queixa contra o jovem que o agrediu a murro na quarta-feira, numa arruada em Pontevedra, e que segundo a imprensa galega será familiar da sua mulher.

De acordo com o jornal galego La Voz de Galicia, o jovem é primo de Elvira Fernández - a mulher do presidente do Governo e candidato pelo PP às eleições gerais do próximo domingo. A mãe do adolescente é prima da mulher de Rajoy. Ainda segundo a publicação, a família do jovem é conhecida em Pontevedra e simpatizante do PP, pelo que não existirá qualquer motivação política na agressão.

Na manhã desta quinta-feira, Rajoy apelou a que ninguém em Espanha extraia conclusões políticas da agressão.

"Tenho a maçã do rosto um pouco inchada. O médico deu-me uma pomada e um analgésico", disse Mariano Rajoy, no decorrer de uma das entrevistas televisivas que deu hoje de manhã.

"Estamos num país civilizado e não andamos à bofetada. Foi uma exceção" que nada teve a ver com a campanha das eleições gerais de domingo, nem com o duro debate que teve na segunda-feira com o candidato do PSOE, Pedro Sánchez.

Ainda que Rajoy ou o PP não apresentem queixa do jovem, o Ministério Público atua automaticamente neste tipo de casos, pelo que o jovem - conotado com claques radicais do futebol - pode apanhar uma pena de até seis anos de internamento num centro de menores.

O ministro da Justiça espanhol, Rafael Catalá, considerou "evidente" que houve dolo por parte do jovem agressor, já que este "esperou e esperou [pelo melhor momento] para cometer a agressão".

Catalá também recordou que o jovem - detido após o murro a Rajoy - escreveu posts na Internet afirmando que "iria agredir ou atacar o PP".

Os amigos do jovem condenaram, entretanto, o ato violento e pediram desculpa a Rajoy pelo sucedido.

Os jovens, na sua maioria menores de idade, integram um grupo no Whatsapp chamado LDS (Los de Sempre, ou "Sempre os mesmos") que continham mensagens como "Capi [abreviatura de Capitán, o nickname do jovem] mata-o", "Polegares nos olhos" ou "E cospe-lhe nas covas dos olhos", entretanto difundidas pela comunicação social.

Estas mensagens, afirmam agora, "estão fora de contexto" e "não refletem" os comentários do grupo, já que "eram uma piada". Os seus amigos dizem que fizeram estes comentários nunca pensando que o jovem iria mesmo agredir o presidente do Governo.

"Quando o Capi começou a dizer que ia ver o Rajoy todos pensamos que estava a gozar", comentou um dos menores, acrescentando que um deles até lhe disse "Não faças nenhuma parvoíce".

A maioria dos jovens do grupo estuda no Instituto Sánchez Cantón de Pontevedra, no qual o próprio Mariano Rajoy tirou o bacharelato. O presidente do governo espanhol nasceu em Santiago de Compostela, Galiza.

O jovem de 17 anos é membro da Mocidade Granate (Grená), uma claque do Pontevedra cujo presidente, também ele menor, condenou o incidente e sublinhou que a claque não é violenta. Admitiu que a claque "defende uma política de esquerda, mas recusa a violência".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG