Ataque talibã a campo do exército afegão mata 43 soldados

O ataque começou na quarta-feira à noite e foi reivindicado pelos talibãs através de um comunicado

Os talibãs realizaram dois ataques suicidas contra o exército na província afegã de Kandahar, gerando várias horas de combates e resultando em pelo menos 43 soldados mortos, informaram esta quinta-feira governantes do país.

Este foi o terceiro ataque em menos de 48 horas reivindicado pelos talibãs contra as forças governamentais.

Segundo o Ministério da Defesa, "mais de sessenta soldados estavam na base, 43 morreram, nove ficaram feridos e seis estão desaparecidos". Dez atacantes foram mortos.

"Os ataques ocorreram pelas 02:50 locais (23:20 em Lisboa) de quarta-feira, quando um grupo de homens atacou a base de Chashmo, no distrito de Maiwand", acrescenta o Ministério.

"Nós acreditamos que os atacantes usaram pelo menos um Humvee (veículo militar) carregado de explosivos que detonaram à entrada da base. Estamos a verificar se haveria outros meios usados, mas infelizmente não resta nada do acampamento. Está tudo queimado", afirmou o porta-voz do ministério, o general Dawlat Waziri, à Agência France Presse (AFP).

Foi enviado um reforço de meios para o local.

Numa mensagem à imprensa, os talibãs reivindicaram o ataque, dizendo que na operação tinham sido mortos 60 soldados.

Uma fonte de serviços de segurança contactada pela AFP assegurou, por seu lado, que "apenas um Humvee, roubado no exército", tinha sido usado e que explodiu à entrada da base.

"Quando este tipo de veículo está cheio de explosivos, um único é suficiente para criar danos enormes. A base foi completamente destruída. Nada resta, apesar dos muros de proteção", disse o responsável.

Segundo afirmou, os talibãs tinha recentemente ameaçado, várias vezes, atacar esta base.

Os corpos das vítimas mortais e os feridos foram transferidos para o hospital da base militar em Kandahar, a grande cidade no sul do país.

O distrito de Maiwand, onde o ataque ocorreu, está isolado numa área particularmente exposta, a 80 km a oeste de Kandahar e nas proximidades (aproximadamente 20 km) do limite com Helmand, província controlada em cerca de dois terços pelos talibãs.

As forças afegãs têm vindo a enfrentar mais dificuldades em combater os talibãs desde que as forças norte-americanas e da NATO concluíram a sua missão de combate no final de 2014.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG