"Assassino do Twitter" condenado à morte no Japão

Autor confesso do assassinato de nove pessoas foi declarado culpado de roubar, assassinar, desmembrar e armazenar os corpos das vítimas na sua casa

Um japonês de 30 anos, conhecido por "o assassino do Twitter", foi esta terça-feira condenado por um tribunal de Tóquio à pena de morte por ter assassinado, em 2017, nove pessoas que atraiu a sua casa depois de as ter contactado na rede social Twitter.

O autor confesso das mortes, Takahiro Shiraishi, foi declarado culpado de roubar, assassinar, desmembrar e armazenar os corpos das vítimas na sua casa, na localidade de Zama, na prefeitura de Kanagawa.

O juiz do processo, Naokuni Yano, afirmou que nenhuma das vítimas, apesar de terem manifestado pensamentos suicidas no Twitter, consentiu em ser morta. O consentimento das vítimas foi o principal ponto de debate entre a acusação e a defesa durante o julgamento, uma vez que essa era a base de argumentação dos advogados de Shirashi para solicitarem a pena de prisão perpétua.

"Nenhuma das nove vítimas consentiu ser assassinada, mesmo se tivermos em conta consentimento silencioso", afirmou o juiz, de acordo com o canal de televisão público NHK. O magistrado classificou os atos como "extremamente graves" e considerou que a "dignidade" das vítimas foi "pisoteada".

As vítimas, oito mulheres e um homem, com idades entre os 15 e os 26 anos, foram assassinadas entre agosto e outubro de 2017.

Shiraishi entrou em contacto com as vítimas femininas através do Twitter e atraiu-as a sua casa com propostas para as ajudar a morrer.

A única vítima masculina era o companheiro de uma das mulheres mortas e que entrou em contacto com Shiraishi depois do desaparecimento da companheira.

A 31 de outubro de 2017, a polícia encontrou 240 pedaços de corpos humanos armazenados em geladeiras ou caixas de ferramentas cobertas com areia para gatos numa tentativa de disfarçar o odor.

Durante o julgamento, o réu declarou que não ia recorrer da sentença, mesmo se fosse condenado à pena de morte.

Esta é a segunda condenação à pena capital que a justiça japonesa determina em menos de uma semana.

No sábado, um tribunal do sudoeste do arquipélago condenou à morte por enforcamento um homem de 41 anos pelo homicídio em 2018 de cinco pessoas, incluindo a avó e o pai.


Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG