As férias de trabalho de Salvini com mojitos, selfies e DJs

O ministro do Interior italiano e líder da Liga, em campanha contínua, tem planeado um périplo pela costa italiana, nomeadamente a Sul onde o seu partido apresenta resultados piores (domina a norte e no centro)

"Quanto mais me criticam porque estou no meio das pessoas, mais vou", lançou o ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, anunciando nas redes sociais o périplo que vai realizar pela costa italiana neste verão. "De amanhã [a partir de esta quarta-feira] até meados de agosto vou esperar-vos ao longo das costas da nossa esplêndida Itália, especialmente nas pérolas do nosso sul", indicou.

Salvini, que é igualmente vice-presidente e líder da Liga, parte numa espécie de férias de trabalho, depois das críticas que ouviu este fim de semana pela festa do partido em Papeete Beach, em Milano Maritiima, uma das praias mais conhecidas do norte de Itália. Selfies em tronco nu, ao lado dos Djs de mojito na mão, com dançarinas a cantar o hino nacional, num comportamento que os críticos dizem não ser digno.

O ministro já tinha sido criticado porque o seu filho, Matteo Salvini, de 16 anos, foi filmado numa moto de água da polícia italiana, junto com o agente responsável. Ele que tem dito várias vezes em público que os escoltas "não são motoristas de ninguém". Salvini admitiu um "erro de pai", mas criticou o jornalista do La Repubblica que fez as imagens por ter filmado o menor.

A Liga nasceu a norte e é lá que tem melhores resultados -- nas europeias, 41% dos eleitores no norte de Itália escolheram o partido de Salvini, comparado com 34% a nível nacional. No centro, a percentagem foi de 33%, enquanto no sul e ilhas não foi além de 23%. Nas sondagens para as próximas eleições gerais, a Liga surge cerca de 15 pontos percentuais à frente do Partido Democrático, deixando a 20 pontos o parceiro de coligação, o Movimento 5 Estrelas de Luigi di Maio, cuja personalidade não podia ser mais oposta à de Salvini.

De volta ao trabalho

O Governo italiano conseguiu fazer aprovar esta quarta-feira um polémico diploma de Salvini que estabelece multas às organizações não-governamentais (ONG) que salvam vidas no Mediterrâneo, apresentado como uma moção de confiança ao executivo.

O decreto foi aprovado definitivamente no Senado com 160 votos a favor, 57 contra e 21 abstenções. O seu eventual chumbo teria provocado a queda do executivo, do nacionalista Liga e do partido antissistema Movimento 5 Estrelas.

Matteo Salvini, que participou na votação na qualidade de senador, celebrou a aprovação do Decreto Segurança com um agradecimento à Virgem Maria.

"O Decreto Segurança, que dá mais poder às forças da lei, mais controle fronteiriço, mais homens para prender mafiosos e 'camorristas', é lei. Agradeço aos italianos e à beata Virgem Maria", escreveu o ministro nas redes sociais.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG