Arifa teve um filho e 26 dias depois voltou a ser mãe de gémeos

Jovem de 20 anos tem dois úteros, ou útero didelfo, mas como nunca fez uma ecografia desconhecia-se que sofre desta anomalia rara.

Arifa Sultana, uma jovem de 20 anos do Bangladesh, deu à luz um rapaz no final de fevereiro e 26 dias depois do parto voltou a ser mãe, desta vez de gémeos.

A ginecologista Sheila Poddar explicou que a mulher se deslocou ao hospital Ad-Din, em Daca, queixando-se de dores abdominais. Depois de fazerem uma ecografia, os médicos nem queriam acreditar no que tinham descoberto - Arifa ainda estava grávida de gémeos. Decidiram realizar uma cesariana e, desta vez, nasceram um rapaz e a rapariga de perfeita saúde. A mãe também está bem e os três tiveram alta quatro dias após o parto.

"Ficámos chocados e surpreendidos, nunca tínhamos visto uma coisa assim", disse a ginecologista.

Como é que uma mulher que tinha tido um filho há menos de um mês deu à luz gémeos? Os médicos dizem que isso aconteceu porque Arifa Sultana tinha dois úteros ou útero didelfo. Uma anomalia congénita rara e cuja gestação gemelar representa uma taxa de incidência geral de uma em um milhão.

Isto significa que o primeiro bebé e os gémeos foram concebidos e se desenvolveram em úteros separados.

A situação dificilmente seria detetada porque, sendo oriunda de uma zona rural, Arifa nunca chegou a fazer uma ecografia, nem sequer na primeira gravidez.

O ginecologista Cristopher Ng, citado pela BBC, explica que há uma forte possibilidade de terem sido fecundados três óvulos ao mesmo tempo, o que resultou nos três embriões que se dividiram pelos dois úteros.

Um exame pélvico poderia ter revelado esta condição física rara da jovem mãe, mas tratando-se de um casal muito humilde, não houve exames durante a gravidez de Arifa. Aliás, a jovem mostrou-se feliz com o nascimento dos três filhos, mas disse estar preocupada com a situação financeira, segundo a médica do hospital de Daca.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG