Arena holandesa que ia receber a Eurovisão é agora um hospital de campanha

Espaço em Roterdão foi transformado e tem 88 camas disponíveis para receber doentes com covid-19. Festival da Eurovisão foi cancelado pela primeira vez em 64 anos.

A sala de concertos holandesa, que seria o palco do Festival da Eurovisão este ano, foi transformada em hospital de campanha e receberá doentes que sofrem de covid-19 a partir de sexta-feira.

Onde milhares de fãs deveriam aplaudir e torcer pelos artistas em competição no próximo mês, a Ahoy Arena em Roterdão agora está repleta com 88 camas de hospital para aliviar o peso sobre os hospitais holandeses.

Um local especial foi reservado para pacientes que sofrem de covid-19 e necessitam de algum tipo de tratamento, mas não precisam de estar hospitalizados.

"Algumas pessoas não conseguem mais sobreviver em casa e devem ser atendidas conforme as instruções dos seus médicos. Em breve, poderemos recebê-las aqui em Ahoy", disse Saskia Baas, diretora do serviço público de saúde da região de Roterdão.

Pessoas que "não podem ser adequadamente acompanhadas nos seus próprios centros de assistência médica ou em casas de repouso" também serão bem-vindas, disse a responsável durante uma visita com a imprensa.

As autoridades decidiram converter a Ahoy Arena no mês passado, após o cancelamento do Festival da Eurovisão pela primeira vez nos 64 anos de história do evento.

"Estávamos em plena preparação para o concurso da Eurovisão", disse Arjen Littooij, diretor de proteção e segurança da região de Roterdão. "De repente e rapidamente tivemos que nos adaptar à crise."

A Holanda regista 27.419 infeções com 2.945 mortes, de acordo com a última contagem divulgada esta terça-feira.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG