Antigo autarca de Teerão condenado à morte por assassinar mulher

Mohammad Ali Najafi entregou-se à polícia depois de ter baleado a sua mulher. O julgamento foi amplamente divulgado nos media, num país em que escândalos relacionados com políticos raramente são mencionados na televisão.

O ex-autarca de Teerão Mohammad Ali Najafi foi condenado à morte após ter sido considerado culpado pelo assassínio da sua mulher, informou esta terça-feira o porta-voz da Autoridade Judiciária iraniana, após um longo julgamento que foi acompanhado pelos media.

Figura do movimento reformista, Najafi, de 67 anos, foi considerado culpado de matar a tiro a sua segunda mulher, Mitra Ostad, em sua casa, na capital iraniana, a 28 de maio, relatou o porta-voz Gholamhossein Esmaili. O corpo da vítima, bastante mais jovem que o marido, foi encontrado na banheira de uma das casas de banho da residência. Najafi entregou-se à polícia no mesmo dia e admitiu ter baleado a mulher.

"A acusação inclui homicídio premeditado, agressão e posse ilegal de uma arma de fogo", disse Esmaili, citado pelo Mizan Online, a agência de notícias da Autoridade Judiciária.

"O tribunal estabeleceu que o assassínio foi premeditado e ordenou a pena de morte", acrescentou. Najafi foi absolvido das acusações de agressão, mas foi condenado a dois anos de prisão por posse ilegal de arma de fogo, segundo o porta-voz. "Esta não é a sentença final, pois pode ainda ser enviado um recurso ao Supremo Tribunal", disse Esmaili.

A família da vítima exigiu a aplicação da lei islâmica "qesas" (a lei da retaliação), que prevê a pena de morte neste caso.

O estatuto de Najafi e o escândalo em torno do seu segundo casamento, que ocorreu sem o divórcio da sua primeira mulher - num país onde a poligamia é mal recebida -, ajudaram a despertar um grande interesse no Irão para este caso.

O seu julgamento foi amplamente divulgado nos media, num país em que escândalos relacionados com políticos raramente são mencionados na televisão.

Brilhante matemático e professor universitário, Najafi foi conselheiro económico do Presidente Hassan Rohani e ministro da Educação. Najafi foi eleito autarca de Teerão em agosto de 2017, mas renunciou em abril de 2018, após ser criticado pelos conservadores por participar numa apresentação de dança numa escola.

Alguns ultraconservadores referiram que o julgamento demonstrou a "bancarrota moral" dos reformistas. Os reformistas acusam a televisão pública, dominada pelos conservadores, de cobrir o caso de uma forma tendenciosa com fins políticos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG