Leadsom desiste. Theresa May pode ser primeira-ministra ainda esta semana

Decisão surge depois de ter sido criticada por dizer que, por ser mãe, estava melhor preparada para ser primeira-ministra. Theresa May, a adversária, não pode ter filhos.

Andrea Leadsom, secretária de Estado da Energia, anunciou ontem que desiste da corrida à liderança dos Tories, considerando que "uma campanha de nove semanas não é desejável" para o país, depois do referendo sobre o brexit. "Precisamos de um novo primeiro-ministro o mais rapidamente possível", indicou, apoiando Theresa May, a ministra do Interior.

"Não acredito ter o apoio suficiente para liderar um governo forte e estável", afirmou Leadsom numa declaração aos jornalistas, à porta de casa. A secretária de Estado, que defendeu o brexit, teve o apoio de 25% dos deputados conservadores, juntando-se à favorita Theresa May, que apoiou a continuação do Reino Unido na União Europeia, na corrida à liderança do partido - e consequentemente do governo.

Segundo a imprensa britânica, a decisão surge também depois das críticas que Leadsom ouviu por ter sugerido que, por ser mãe, estava melhor preparada para ser primeira-ministra. A adversária não pode ter filhos. Leadsom pediu desculpa a May pelo comentário.

Eram os militantes conservadores que iam escolher entre Leadsom e May, através de voto postal. A decisão sobre a vencedora era esperada no dia 9 de setembro. Agora, May deverá reunir com o primeiro-ministro britânico, David Cameron, para preparar a passagem de testemunho, que poderá ocorrer ainda esta semana.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG