Amazon já tem autorização para usar drones na entrega de produtos

Empresa diz que irá continuar a investir para desenvolver formas de fazer entregas em 30 minutos em todo o mundo. Principais companhias de distribuição apostam na nova tecnologia.

A Amazon informou nesta segunda-feira que a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) autorizou a gigante do comércio online a usar drones na entrega de produtos.

A autorização demonstra "confiança nas operações e procedimentos de segurança da Amazon" para implantar um serviço que permitirá que as encomendas cheguem num dia em todo o mundo, disse o vice-presidente da empresa, David Carbon, à AFP.

A Amazon tem feito grandes investimentos numa rede logística que permite a entrega rápida de produtos adquiridos pelos seus clientes através da rede Prime Air, via drones.

"Continuaremos a desenvolver e ajustar a nossa tecnologia para integrar totalmente os drones de entrega no espaço aéreo e trabalharemos em estreita colaboração com a FAA e outros reguladores em todo o mundo para concretizar a nossa visão de entregas em 30 minutos", disse Carbon.

A Amazon planeia usar esta certificação para despachar drones totalmente eletrónicos usados na entrega de produtos aos clientes. Para obter esta qualificação foi preciso comprovar a segurança das operações.

No ano passado, a empresa americana de encomendas UPS obteve aprovação das autoridades federais para operar uma "linha aérea de drones". Planeia expandir as operações aéreas na área da saúde, entre outras.

A UPS disse em 2019 que recebeu autorização total da FAA, o que permitiria operar um número ilimitado de drones por meio de operadores remotos.

Várias empresas, desde algumas startups até grandes empresas de tecnologia como a Alphabet (das gigantes Google e YouTube), estão a trabalhar no desenvolvimento de entregas por drones autónomos.

O projeto do drone Wing da Alphabet foi certificado pela FAA como uma transportadora aérea no ano passado, abrindo caminho para a possibilidade de fazer entregas aos seus clientes.

A Wing fez a primeira entrega em 2014 numa área rural da Austrália, onde transportou suprimentos de primeiros socorros, doces e água para os agricultores, de acordo com o site da empresa.

Dois anos depois, os drones do projeto Wing foram usados para entregar burritos a alunos da Universidade da Virgínia.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG