Alemanha escolhe sucessor de Merkel a 26 de setembro de 2021

Chanceler alemã anunciou em outubro de 2018 que não seria candidata ao quinto mandato. CDU ainda não conseguiu eleger um novo líder.

O governo alemão marcou para 26 de setembro de 2021 as eleições gerais que vão escolher o sucessor ou a sucessora da atual chanceler, Angela Merkel.

Depois de 16 anos à frente dos destinos da Alemanha, a maior potência económica da União Europeia, Merkel anunciou em outubro de 2018 que não seria candidata a um quinto mandato.

O governo "propõe ao presidente a data de somingo, 26 de setembro de 2021, para as eleições do 20.º Bundestag [a câmara baixa do Parlamento]", disse a porta voz Martina Fietz aos jornalistas. O presidente Frank-Walter Steinmeier terá que aprovar a data.

Após o anúncio de Merkel, os conservadores da CDU já tinham escolhido uma nova líder, a atual ministra da Defesa Annegret Kramp-Karrenbauer, mas entretanto esta demitiu-se e a pandemia de covid-19 está a dificultar a escolha de um novo sucessor. Os candidatos são o líder do governo regional da Renânia do Norte-Vestefália, Armin Laschet, o advogado e ex-eurodeputado Friedrich Merz, e o deputado e ex-ministro Norbert Rottgen.

A CDU, que lidera amplamente as sondagens com 36% de intenções de voto, está dividida entre uma corrente de centro a favor da continuidade e outra que defende um deslocamento para a direita. Em segundo lugar nas sondagens surgem os verdes, à frente do SPD, parceiro da grande coligação de Merkel. A Alternativa para a Alemanha (AfD), da extrema-direita, está em quarto, com cerca de 10% de intenção de voto.

O líder da CDU é normalmente o candidato da aliança com os bávaros da CSU ao cargo de chanceler, mas o atual dirigente da CSU, Markus Söder, que também é chefe do governo da Baviera, surge à frente das sondagens diante de qualquer um dos três, por causa de toda a incerteza na corrida à liderança do partido, mas também da resposta que tem dado à pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG