Aldeia italiana submersa há 25 anos poderá emergir

A vila italiana do século XII, na província de Lucca, na Toscania, está submersa há 25 anos, por causa da construção de uma barragem, volta a ser vista agora com o esvaziamento de um lago.

A vila de Fabbriche di Careggine, na província de Lucca, na Toscana, foi inundada em 1946 para construir uma barragem hidrelétrica no Lago Vagli e não era vista desde 1994, quando aquele lago foi esvaziado pela última vez. A vila volta agora a emergir.

Na altura da construção da barragem, os moradores da localidade foram transferidos para uma nova cidade à beira do lago, Vafli di Soto, deixando para trás as suas casas submersas por 34 milhões de metros cúbicos de água. As estruturas, agora à vista com um novo esvaziamento da barragem, revelam-se intactas, incluindo as casas de pedra, uma ponte, um cemitério e a Igreja de San Teodoro.

Segundo as autoridades locais de turismo, a vila fantasma só foi vista desde 1946 por quatro vezes, 1958, 1974, 1983 e 1994. O lago tem sido drenado para trazer a vila à tona. O jornal italiano La Repubblica revelou que em 2015 o antigo presidente da câmara de Vagli di Sotto, apelou para que o lago fosse drenado para mostrar a antiga vila do século XII, preocupado que estava com a situação do emprego local e do turismo.

Num post no Facebook, Lorenza Giorgi, filha do ex-autarca local Somenico Giorgi, apontou para o esvaziamento do lago durante o próximo ano, que atualmente funciona como reservatório de água em caso de incêndios. "Fontes fiáveis dizem que no próximo ano, em 2021, o lago de Vagli será esvaziado", escreveu.

"A última vez que foi esvaziada foi em 1994, quando meu pai foi presidente da câmara, e graças aos seus esforços e às inúmeras iniciativas que, com grandes esforços, conseguiram estabelecer toda a cidade de Vagli e puderam receber mais de 1 milhão de pessoas ," disse ainda Lorenza Giorgi.

A empresa de energia Enel, que administra o lago artificial, disse à CNN que um grupo de trabalho está a ser discutido com o município de Vagli di Sotto e a Romei Srl para discutir o turismo na região. A reconstrução do ambiente natural é uma das iniciativas em discussão, disse a empresa, incluindo a limpeza do reservatório de Vagli e possivelmente o esvaziamento da bacia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG