Air France diz que alerta de bomba que obrigou a aterragem de emergência foi falso alarme

Todos os 459 passageiros e a tripulação foram escoltados em segurança para fora da aeronave

O presidente executivo da Air France diz que o alerta de bomba que obrigou um avião da companhia a fazer uma aterragem de emergência em Mombaça, no Quénia, foi falso alarme. Frederic Gagey esclareceu, em conferência de imprensa, que o pacote suspeito encontrado na aeronave era feito de papel e tinha um cronómetro, mas não havia explosivos.

"O objeto não representava qualquer perigo de explosão", disse Gagey, ao referir-se ao pacote encontrado na casa de banho do aparelho que fazia a ligação entre as ilhas Maurícias e Paris.

O voo AF 463, com 473 pessoa a bordo, tinha deixado a ilhas Maurícias às 21:00 locais e devia aterrar em Paris às 05:50 locais. O aparelho aterrou no aeroporto internacional Moi de Mombaça, na costa do Quénia, às 00:37 locais, depois de um pacote suspeito ter sido encontrado numa das casas de banho do aparelho.

O esclarecimento surge depois de as autoridades do Quénia terem afirmado que que estavam a investigar o dispositivo suspeito. Alguns passageiros que estavam no voo foram interrogados pelas forças de segurança quenianas, revelou o ministro da administração interna do Quénia, Joseph Nkaissery.

Todos os 459 passageiros e a tripulação foram escoltados em segurança para fora da aeronave, enquanto o dispositivo foi retirado por elementos das forças de segurança quenianas.

Este é o quarto falso alerta num voo da Air France desde os atentados de 13 de novembro em Paris.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG