Afinal morreram mais elefantes a tentar salvar cria na Tailândia

As autoridades usaram drones para aceder ao local do acidente e descobriram mais cinco cadáveres. No sábado tinham contabilizado já seis elefantes mortos.

Afinal não foram seis, mas onze os elefantes que morreram na Tailândia ao cair de uma cascata, quando alegadamente tentavam resgatar uma cria de três anos. Só dois elefantes desta manada terão sobrevivido à queda de 200 metros na cascata Haew Narok (que significa "queda de inferno" em tailandês), no Parque Nacional Khao Yai, no nordeste da Tailândia.

Não é o primeiro acidente do género a acontecer nesta área, mas será o mais grave. Num acidente semelhante, em 1992, morreram oito elefantes.

Segundo as autoridades tailandesas, os elefantes tentavam atravessar o rio no topo da cascata no sábado quando uma corrente forte os arrastou.

Os responsáveis do parque enviaram pequenos drones para o local, que é de difícil acesso, para poder investigar o acidente.

"Voámos drones a uma altura de 15 metros já que não podemos ir a pé confirmar as mortes", disse o governador da província de Nakhorn Nayok, Nattapong Sirichanam.

A análise das imagens permitiu identificar os cadáveres de mais cinco elefantes além dos seis que tinham sido originalmente anunciados.

"Achamos que havia 13 elefantes nesta manada e dois deles sobreviveram. Estamos 100% confiantes que dois deles estão vivos, porque os responsáveis os viram a andar à procura de comida junto à cascata", disse Nattapong

A Tailândia tem apenas 3500 a 3700 elefantes selvagens, segundo o Departamento de Parques Nacionais, Vida Selvagem e Conservação. No Kao Yai, que tem uma área de dois mil quilómetros quadrados, estima-se que existam 300 elefantes. Agora que novo acidente aconteceu na área, os responsáveis estão a discutir a possibilidade de construir uma passagem sobre a cascata para evitar nova tragédia.

"Vamos tentar encontrar uma forma de evitar que esta tragédia volte a acontecer", referiu.

Exclusivos