Advogado de Asia Bibi diz que ela está no Canadá

Depois de Rahaf Mohammed al-Qunun, a saudita que fugiu da família, o Canadá de Justin Trudeau aceitou agora receber a cristã paquistanesa Asia Bibi, que viu a absolvição confirmada no final de janeiro, depois de ter sido presa há dez anos acusada de blasfémia por ter ousado beber água do mesmo poço do que mulheres muçulmanas e de as ter questionado sobre o profeta Maomé

Asia Bibi, cristã paquistanesa de 48 anos, encontra-se no Canadá, confirmou o seu advogado, citado por um jornal alemão. "Ela está agora reunida com a sua família", disse Saif-ul-Malook ao Frankfurter Allgemeine Zeitung, sendo que duas filhas de Asia Bibi (ela tem cinco filhos) vivem no país liderado pelo liberal Justin Trudeau.

O advogado não divulgou mais detalhes sobre a saída da mulher do Paquistão. Por razões de segurança. A informação foi divulgada depois de, no final de janeiro, o Supremo Tribunal do Paquistão ter rejeitado o recurso contra Asia Bibi por não ter encontrado "nenhum erro no veredicto que a absolveu", no final do ano passado.

A história desta cristã paquistanesa começou quando, em 2009, foi beber água do mesmo poço do que mulheres muçulmanas. Estas protestaram e consideraram que, por ela ser cristã, o recipiente da água ficaria contaminado. E exigiram que ela abandonasse a fé cristã e se convertesse à religião islâmica. Em sua defesa ela disse que Jesus Cristo morrera na cruz pela humanidade e perguntou o que é que Maomé tinha feito por elas. Ao ouvirem tais palavras, as mulheres foram ter com o imã local e a polícia, tendo Asia Bibi sido acusada de blasfémia, sendo presa e condenada à forca.

Ao longo dos anos repetiram-se os apelos para que fosse perdoada e libertada. Mas nada. Em conjunto com a jornalista francesa Anne-Isabelle Tollet, que foi correspondente de guerra no Afeganistão e no Paquistão, escreveu a sua história em livro. Blasfémia, assim se intitula, estando publicado em português. Atualmente chefe de redação da CNews, Tollet foi correspondente da France 24 em Islamabad, capital do Paquistão, durante anos, tendo recebido em diversas ocasiões ameaças de morte por falar com Asia Bibi, bem como com o marido desta, Ashiq Maliq.

A confirmar-se pelas autoridades canadianas a presença de Asia Bibi no Canadá, este é o segundo caso de asilo de grande importância internacional a ser prestado pelo país do primeiro-ministro Justin Trudeau só no mês de janeiro. No início do ano, Rahaf Mohammed al-Quun, jovem saudita que fugiu da família, com apenas 18 anos, chegou ao Canadá via Tailândia. Foi nesse país que fez escala, depois de escapar à família no Koweit, embora o seu plano inicial fosse viajar para a Austrália. Decidiu pedir asilo após receber ameaças de morte da sua família por ter rejeitado um casamento arranjado e também o islão.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.