A vida difícil da tripulação do Air Force One

Com Donald Trump as viagens do avião que transporta o presidente norte-americano passaram de procuradas a temidas

O desagrado dos funcionários da Administração americana com o presidente Donald Trump não se fica pela Casa Branca, como já foi muitas vezes noticiado, mas estende-se à tripulação do Air Force One, o avião que transporta os presidentes dos Estados Unidos. Quem o diz é a CNN que, num trabalho publicado este sábado, baseado nos depoimentos de cinco membro da tripulação do avião presidencial, "atuais e antigos" (que não são nomeados), diz que as viagens com o líder norte-americano, sobretudo as de longo curso, não têm sido uma experiência agradável para quem o acompanha.

"É como ser mantido em cativeiro", refere um desses elementos à CNN, revelando que as viagens do Air Force One passaram de procuradas a temidas: se no início do mandato os funcionários se digladiavam para entrar no staff das viagens presidenciais, agora fazem o que podem para evitá-las, dado que a natureza instável do presidente tende a transformar as horas de voo num frenesim permanente. Trump é descrito como um viajante impaciente que não gosta de se afastar durante muito tempo do dia a dia da política interna dos Estados Unidos.

Tipicamente, disseram as mesmas fontes à CNN, Trump passa o tempo das viagens em quatro atividades - a comer, a ver televisão e jornais, a falar com o staff e a telefonar para amigos e aliados. De acordo com os relatos, as televisões do avião presidencial estão permanentemente sintonizadas na Fox News e se as notícias não são de feição a Trump é de esperar um voo atribulado - o presidente chama funcionários quando estão na hora de descanso, impaciente para discutir a resposta a algo que viu nos media ou a uma reunião que terá à chegada. ​​Há muito que Trump alega que é tratado injustamente pela comunicação social e se vê algo que não lhe agrada - "o que acontece invariavelmente", diz uma das fontes - chama de imediato a equipa para contestar as notícias, esteja na casa Branca ou no Air Force One. E manda acordar quem está a dormir não necessariamente para discutir uma questão política importante - pode ser para falar sobre desporto ou sobre um rumor que ouviu.

Ocasionalmente, Donald Trump toma comprimidos para dormir, revelou o seu médico o ano passado, mas habitualmente o presidente norte-americano, dorme quatro a cinco horas por noite na Casa Branca e menos ainda no avião presidencial - as sugestões para se juntar à primeira-dama na cabine, na frente do avião, reservada ao repouso do casal presidencial, não costumam surtir efeito. "Ele não vai dormir", diz uma das fontes da CNN.

De acordo com a peça da CNN, ao contrário de anteriores presidentes, que optavam por fazer as viagens longas durante a noite, Trump prefere viajar de dia e passar algumas horas no hotel, começando os compromissos oficiais ao início do dia. Não é raro exigir alterações aos programas pré-definidos pela sua equipa e em várias ocasiões terá repreendido os funcionários por considerar inadequado o alojamento - terá sido o caso de uma viagem ao estrangeiro quando descobriu que não tinha acesso à Fox News. Outra das preocupações do seu staff nos encontros preparatórios das viagens ao exterior é a comida: Trump não gosta de surpresas. Exemplo dado pela CNN: servirem-lhe peixe sem tirar a cabeça.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG