A palavra do ano não é uma palavra, é um emoji

Os dicionários Oxford elegeram como palavra de 2015 o emoji "lágrimas de alegria".

"Pela primeira vez, a palavra do ano dos dicionários Oxford é pictográfica: oficialmente, é um emoji que se chama "cara com lágrimas de alegria", explicou na segunda-feira a empresa britânica, acrescentando que, não sendo a única expressão capaz de representar 2015, é aquela que melhor reflete o "espírito, disposição e as preocupações de 2015".

Todos os anos a editora, que pertence à Universidade de Oxford, no Reino Unido, escolhe a palavra que melhor representa os sentimentos ou as preocupações do ano e que, de acordo com o júri, será também uma palavra com "potencial duradouro" e "significado cultural". Para justificar a decisão deste ano, a Oxford Dictionaries acrescenta que utilização dos emojis, nascidos no final da década de 90 no Japão, explodiu em 2015. A própria palavra emoji ganhou um destaque que até aqui não tinha conseguido e a sua utilização triplicou.

Os emojis são símbolos que se usam nas mensagens eletrónicas e nas redes sociais para reagir às publicações ou mostrar estados de espírito (feliz, triste, zangado, sonolento, assustado e por aí fora).

Um estudo realizado durante o ano pela Universidade de Oxford em parceria com a Swiftkey permitiu analisar quais os símbolos mais usados e concluiu que a cara escolhida para palavra do ano foi o mais usado em todo o mundo. Em 2015, o "rosto com lágrimas de alegria" representou 20% de todos os emojis usados no Reino Unido e 17% nos Estados Unidos.

Os especialistas acresditam que os emojis estão a tornar-se uma "forma cada vez mais rica de comunicação" para as novas gerações. No entanto, a eleição tem sido bastante criticada, desde logo porque a palavra do ano não é uma palavra.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG