A muçulmana norte-americana que desafiou Donald Trump

Rose Hamid, de 56 anos, foi expulsa de um comício do principal candidato republicano, na sexta-feira à noite, na Carolina do Sul. Queria mostrar aos apoiantes do milionário que os seguidores do islão não são pessoas assustadoras como ele insinua

Rose Hamid estava de folga na passada sexta-feira mas nem por isso ficou em casa. A viver em Charlotte, na Carolina do Norte, deslocou-se a Rock Hill, no estado vizinho da Carolina do Sul, para assistir a um comício do republicano Donald Trump. "Democrata registada", como gosta de se descrever esta assistente de bordo de 56 anos, Hamid acabou por se tornar notícia. Cofundadora e presidente do grupo Mulheres Muçulmanas das Carolinas (MWOC), filha de pai palestiniano e de mãe colombiana, esta muçulmana que cresceu em Cleveland, no Ohio, acabou por ser expulsa do local do comício, na Universidade de Winthrop.

Numa altura em que Trump sugeria uma alegada ligação entre refugiados sírios e militantes do Estado Islâmico, Hamid levantou-se e, de pé, em silêncio, exibiu uma camisola com a frase: "Salam, eu venho em paz". As câmaras registaram o momento. A cobrir-lhe a cabeça um hijab, no rosto a esperança de quem acredita que a sua atitude poderia mudar opiniões. A confusão de vozes insta-lou-se, uns gritaram "Trump, Trump", alguém perguntava se tinha uma bomba. Steven Thompson, chefe do departamento da Polícia de Rock Hill, disse depois, à CNN, que lhe fora previamente indicado pelos organizadores que "quem causasse o mínimo distúrbio" deveria ser escoltado para fora do recinto. E assim foi.

Um dia depois de ter sido expulsa, Hamid explicou à CNN que o objetivo era mostrar aos apoiantes do milionário norte-americano que os muçulmanos não são pessoas assustadoras como ele insinua. "Inicialmente as pessoas à minha volta foram amáveis. Conversei com elas e partilhámos pipocas. Mas enquanto estava a ser escoltada uma mentalidade de ódio parece ter-se apoderado delas. Foi um momento revelador do que acontece quando começas a usar uma retórica de ódio e o impacto que tem nas pessoas que antes estavam a ser simpáticas contigo", contou a mãe de três filhos.

O Conselho de Relações Americano-Islâmicas condenou a expulsão de Hamid e exigiu desculpas. "A imagem de uma mulher muçulmana a ser expulsa de um comício político envia uma mensagem assustadora aos muçulmanos norte-americanos. Trump devia pedir desculpa."

Trump é um dos 12 candidatos à nomeação republicana para as presidenciais de 8 de novembro nos EUA, enquanto os rivais democratas, partido do presidente Barack Obama, têm três candidatos à Casa Branca. Ex-apresentador de reality show e milionário, Trump, de 69 anos, tem visto a sua campanha manchada por polémicas, nomeadamente com os muçulmanos. Após a expulsão de Hamid, o candidato republicano afirmou: "Há um ódio contra nós inacreditável. Ódio deles. Não nosso."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG