A minha tomada de posse foi maior do que a tua. Ou não

Segundo o Metro de Washington, até às 11.00 tinham sido registadas 193 mil viagens, o que compara com as 513 mil de 2009, quando Obama tomou posse pela primeira vez

No dia da tomada de posse espalharam-se pelos jornais e pelas redes sociais imagens que comparavam a dimensão da multidão que estava nesse dia em Washington com aquela que tinha estado em 2009, quando Barack Obama chegou à Casa Branca.

Pelas fotografias divulgadas era visível que o entusiasmo popular de há oito anos tinha sido bastante maior.

Acontece que Sean Spicer, porta-voz do presidente, insiste em afirmar que a tomada de posse de Trump bateu todos os recordes de afluência e acusou os jornalistas de manipular os números e de usar fotografias que não representam o que se passou.

"As tentativas de diminuir a tomada de posse são vergonhosas", disparou Spicer.

De acordo com estimativas do The New York Times, Obama atraiu 1,8 milhões de pessoas e Trump não terá chegada a um terço desse valor. E, segundo o Metro de Washington, até às 11.00 tinham sido registadas 193 mil viagens, o que compara com as 513 mil de 2009.

Donald Trump fez questão de aproveitar o discurso de ontem na sede da CIA, em frente de uma parede dedicada a agentes mortos em serviço, para tocar no assunto da afluência à sua tomada de posse. Apelidando os jornalistas de "os mais desonestos seres humanos de todos", o presidente garantiu que terão estado na sua tomada de posse 1,5 milhões de pessoas.

John Brennan, ex-diretor da CIA, afirmou que Trump "devia ter vergonhas de si próprio" pelos "desprezíveis" comentários que fez durante a cerimónia na CIA.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG