A Finlândia é (outra vez) o país mais feliz do mundo

Esta quarta-feira, Dia Mundial da Felicidade, a ONU voltou a divulgar o ranking dos países mais felizes do mundo. Portugal está, sensivelmente, a meio da tabela, mas subiu 11 lugares.

A Finlândia é o país mais feliz do mundo, outra vez, segundo o Relatório Mundial sobre a Felicidade da ONU, divulgado esta quarta-feira, 20 de março, Dia Mundial da Felicidade. Este é o segundo ano consecutivo em que a Finlândia ocupa o primeiro lugar deste ranking que avalia 156 países, onde Portugal surge em 66.º lugar. Subiu 11 posições.

Esta distinção não reflete apenas "o ADN finlandês. É essencialmente sobre a forma como se vive neste país", diz John Helliwell, professor universitário e um dos responsáveis pelo relatório deste ano, citado pela CNN Travel. Helliwell justifica a sua afirmação com o facto de também os imigrantes estarem classificados como os mais felizes do mundo. Isto acontece, segundo o professor, porque embora os finlandeses paguem impostos altos, também sentem que as suas contribuições são canalizadas para o bem estar comum: os níveis de confiança no Governo são elevados, tal como a liberdade e a generosidade.

O Relatório Mundial sobre a Felicidade, que existe desde 2012, é uma iniciativa anual da Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas. E a classificação é feita a partir da análise de seis indicadores: o rendimento, a liberdade, a confiança, o apoio social, a generosidade e a expectativa de uma vida saudável.

Neste ranking não estão incluídos níveis de violência, mas sim a resposta dada pelos países aos conflitos. Apesar do ataque terrorista da semana passada a duas mesquitas na Nova Zelândia, que provocou 49 mortos e 48 feridos, o país ocupa o oitavo lugar na tabela dos países mais felizes do mundo (tal como no ano passado).

"Os primeiros dez países tendem a estar bem classificados nas seis variáveis, tal como nas medidas de bem-estar emocional", refere John Helliweel. Seguem-se à Finlândia, respetivamente, a Dinamarca, a Noruega, a Islândia e a Holanda. A Suíça ficou em sexto lugar, antes da Suécia, da Nova Zelândia, do Canadá e da Áustria.

Em relação ao ranking apresentado no ano passado, não há grandes alterações. Apenas a saída da Austrália dos primeiros dez lugares - este ano ocupa a 11.ª posição.

Já os últimos dez lugares da tabela são ocupados respetivamente pelo: Sudão do Sul, República Centro-Africana, Afeganistão, Tanzânia, Ruanda, Iémen, Malawi, Botsuana e Haiti.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG