A aldeia que votou em 32 segundos, o presidente vestido de urso e outras histórias das eleições espanholas

O dia tem sido marcado por uma participação mais baixa do que em abril, mas outros casos são notícia pela sua singularidade ou dramatismo

Os últimos dados davam conta que às 14 horas (menos uma em Lisboa) só tinham votado pouco mais de um terço dos espanhóis nas eleições gerais deste domingo (37,93%). Ou seja, menos 3,6 pontos percentuais se comparado com o sufrágio de abril quando, à mesma hora, já 41,49% dos eleitores tinham exercido o direito de voto.

Enquanto isso, vão sendo conhecidos casos insólitos que marcam este dia eleitoral - o 10 N, como os espanhóis lhe chamam numa simplificação da data 10 de novembro. E que vão desde os mais caricatos, como pessoas que se disfarçaram de urso ou de personagens da saga Star Wars, aos mais dramáticos.

Uma aldeia votou em 32 segundos e bateu recorde

Mais rápido não podia ser: 32 segundos bastaram para que os oito habitantes de Villarroya, na região de La Rioja, exercessem o seu direito de voto. E até bateram o seu próprio recorde de tempo a votar, que há quatro anos foi de 42 segundos.

Os eleitores organizaram-se mais uma vez e combinaram estar na assembleia de voto meia hora antes da sua abertura às 09:00 (08:00 em Lisboa), de forma a terem tudo pronto para votar em menos de um minuto, conta a Lusa.

Desta vez, esperaram a abertura em fila, numa ordem pré-estabelecida, para procederem à votação e introduzirem os boletins de voto nas urnas o mais rapidamente possível.

A estratégia permitiu-lhes que todos os nomes do caderno eleitoral tivessem cumprido o seu dever cívico em 32,25 segundos perante os olhares de uma dúzia de jornalistas, familiares de outras cidades e curiosos, segundo a agência espanhola de notícias Efe.

A seguir a terem terminado de votar, a secretária da autarquia telefonou à Junta Eleitoral (Comissão Nacional de Eleições espanhola) para completar oficialmente o processo.

"Apesar de este recorde, que é uma anedota, gostaria que tivéssemos mais gente na povoação e fosse mais difícil votar", disse o presidente da câmara municipal, citado pela Efe, recordando que Villarroya já teve cerca de quinhentos habitantes, muitos deles trabalhadores das minas de carvão que fecharam nos anos 60 do século passado.

O presidente de mesa vestido de urso polar

Os eleitores que se deslocaram à mesa eleitoral em El Burgo de Osma, Soria, foram surpreendidos com o presidente da mesa eleitoral vestido de... urso polar. Uma eleitora daquele município com cerca de 5 mil habitantes disse que se trata de uma pessoa "muito comprometida com os animais" e que até costuma participar nas manifestações contra as touradas.

Outra eleitora preferiu brincar com a situação e gracejou: "Ao menos, não passa frio".

Segundo o El País, a lei eleitoral espanhola não proíbe que os presidentes das mesas usem este tipo de traje.

Votaram disfarçados de personagens de Star Wars

Se um presidente de mesa se vestiu de urso polar, outros optaram por mostrar as suas preferências cinematográficas. Foi o caso de um grupo de fãs da saga Star Wars que votaram no colégio eleitoral Juan Ramón Jimenez de Sevilha.

Quem se preparava para exercer o direito de voto foi surpreendido com algumas personagens da saga criada por George Lucas. Os que tinham máscaras - conforme o disfarce da personagem - acabaram por tirá-las no momento de se identificarem para votar.

Um cego preside à mesa eleitoral

César Puente Fuente tem 63 anos e é cego. Mas isso não o impediu de presidir a uma mesa eleitoral em Alicante. O que aconteceu foi que pediu à Junta Eleitoral que pudesse ter a ajuda de uma pessoa da sua absoluta confiança para poder desempenhar a função.

E foi o que aconteceu. A amiga Verónica González, que acabaria por se tornar o quarto elemento da mesa eleitoral, está a ajudá-lo a identificar os eleitores.

"Temos que encarar estas coisas como algo normal na sociedade", disse César, que chegou à mesa de voto acompanhado por Vilka, uma cadela a labrador negra que é a sua guia. E que ficou pacientemente sentada de baixo da mesa, aos pés do dono.

Duas pessoas morreram quando foram votar

A manhã eleitoral no colégio do município de Veléz de Beenaudalla, Granada, ficou marcada por um acontecimento dramático: uma mulher de idade avançada morreu quando ia votar. A idosa terá o primeiro desmaiado, mas acabaria por falecer no local.

Outro eleitor, um homem de 87 anos, morreu depois de sofrer um enfarte em Urretxu, Guipuzcoa, o que obrigou ao encerramento da mesa eleitoral durante mais de uma hora, segundo fontes do Ministério do Interior citadas pelo El País.

Exclusivos