Trabalhadores da Lusa retiram confiança a Comissão de Trabalhadores

O plenário foi convocado na sequência de um abaixo-assinado que reuniu 80 assinaturas

Os trabalhadores da agência Lusa reuniram hoje em plenário e decidiram iniciar um processo de destituição da Comissão de Trabalhadores (CT). Os trabalhadores "entenderam tornar público que não se sentem representados pela atual composição deste órgão representativo de trabalhadores, ao qual retiraram confiança", referem em comunicado.

O plenário foi convocado na sequência de um abaixo-assinado que reuniu 80 assinaturas para iniciar o processo de destituição da CT.

O comunicado agora divulgado foi aprovado em plenário por maioria qualificada.

"Nesse sentido, as ações internas ou externas desenvolvidas pela atual composição [cuja destituição só será votada no dia 21 de fevereiro, conforme estipulam os estatutos da Comissão de Trabalhadores] não representam os trabalhadores", afirmam os funcionários.

O comunicado, entretanto, divulgado, será enviado aos grupos parlamentares, aos ministérios do Trabalho, das Finanças e da Cultura, aos sindicatos representativos dos trabalhadores da Lusa e à administração da agência.

"Os trabalhadores da agência Lusa reunidos em plenário no dia 17 de janeiro de 2018 decidiram que, no período que inclui a realização do referendo para destituição da atual Comissão de Trabalhadores (CT), em 21 de fevereiro, novas eleições e até à tomada de posse de uma nova CT, retiram a confiança aos atuais elementos que a compõem, não lhes reconhecendo capacidade de representação", acrescentam.

A posição do plenário que retira a confiança à CT foi aprovada com 94 votos a favor, quatro abstenções e três votos contra.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG