The Voice Portugal. O que mudou na vida dos vencedores?

Deolinda Kinzimba, Denis Filipe e Rui Drumond fazem balanço da vitória no formato

Entre a paixão pela música e a vontade de singrar no mercado, há outra coisa que une Deolinda Kinzimba, Rui Drumond e Denis Filipe: a vitória no The Voice Portugal, em 2015, 2014 e 2012, respetivamente, e o impacto que isso gerou nas suas vidas. Denis "realizou um sonho já esquecido", com o álbum Twist & Bend, em 2013. Drumond, que ganhou o formato exibido pela RTP1 no ano seguinte, e Deolinda, vencedora em 2015, lançaram agora o seu primeiro single original.

A importância do formato emitido pela RTP1, e cuja quarta edição chega hoje à fase das galas em direto, é clara para todos. Rui Drumond é perentório ao explicar ao DN que "a vida muda", mas apenas numa vertente: "O programa teve impacto a nível profissional, permite chegar mais rapidamente a um ponto de viragem. O meu novo single, Guardo-Te aqui, representa aquilo que vou fazer para o resto da minha vida - ser cantor, compositor e produtor", revela o cantor, que editou há dois anos um disco de estreia, parte do prémio do concurso, um contrato com a editora Universal. Mas frisa: "Como pessoa, sempre continuei o mesmo, na minha maneira de ser e estar."

Já Deolinda Kinzimba, que prepara o primeiro disco, após o lançamento do single Primeira Vez, confessa estar mudada. "Antes era a Deolinda sonhadora, agora sou a trabalhadora", diz, numa alusão às portas que se abriram pós-concurso. "Meti na cabeça que não queria outra coisa sem ser fazer música", revela a cantora autodidata, que diz ter aprendido a cantar "ao imitar Mariah Carey, Whitney Houston e Aretha Franklin".

Denis, que "se tinha acomodado a tocar as músicas dos outros", viu também a sua vida a mudar com a vitória do formato apresentado por Catarina Furtado e Vasco Palmeirim. "Há sempre uma referência ao programa. As pessoas vão sempre pegar nesse facto durante alguns anos", diz. Profissionalmente, conta ter ficado "mais conhecido". "Tenho sempre convites para ir cantar em bandas, que têm mais vontade de me terem com eles, tal como os bares", conta o jovem, que prepara um segundo disco, agora como parte do grupo Darksons.

Rui Drumond, que já tinha participado na Operação Triunfo, diz que o The Voice é diferente pela aposta nas histórias de vida dos concorrentes. "Isso tem sempre preponderância. O povo português é muito ligado ao coração. Uma história de vida triste ou de força interessa e chama atenção ao português. Também interessa para captar audiências, e acho normal", remata o cantor.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG