Primeira série de Woody Allen arrasada pela crítica

"Crisis in Six Scenes" estreou-se esta sexta-feira na Amazon Prime. A imprensa e os fãs não pouparam críticas ao projeto

"Dececionante", "ignorante", "preguiçosa", "foleira", "esquecível". Estes são alguns dos adjetivos utilizados pela imprensa internacional para descrever a série que assinala a estreia de Woody Allen em televisão, Crisis in Six Scenes. As interpretações de Miley Cyrus e Elaine Maine no episódio de estreia, lançado na plataforma Amazon Prime esta sexta-feira, foram merecedoras de alguns elogios, mas nem isso parece ter salvado o projeto final.

"Será que ele sabe o quão má a série é? Crisis in Six Scenes é desrespeitosa e ignorante para com a televisão enquanto meio. É certamente insignificante, preguiçosa, foleira. A comédia é leve e muito familiar. A estrutura é ingénua", escreve o The Guardian.

A Variety, por sua vez, alerta para o facto de "grande parte da história depender do charme de Allen". "Só que é difícil ver um homem de 80 anos como charmoso à luz do presente. Seria mais fácil, provavelmente, se não houvessem piadas sobre filhas adotivas", frisa a publicação, referindo-se ao casamento do realizador com a filha adotiva de Mia Farrow, Soon-Yi Previn, que dura há 23 anos.

O Boston Globe não hesita em afirmar que a trama é "uma perda de tempo", enquanto o The New York Times reforça: "Estamos a meio de uma revolução na comédia televisiva norte-americana, e uma importante fonte de humor negro e estilo cinematográfico para séries como Louie ou Transparent é, sem dúvida, Woody Allen. É dececionante, por isso, que Crisis in Six Scenes, a primeira série de Allen, pareça instantaneamente esquecível".

O próprio Woody Allen, quando começou a trabalhar neste projeto, admitiu, com algum humor, que tinha cometido "um erro catastrófico". "Nunca me devia ter metido nisto. Pensei que seria canja. Meia hora aqui, meia hora ali. Mas não é! É muito, muito difícil. Eu não vejo séries de televisão, por isso não sei o que estou a fazer. Acho que isto vai ser um embaraço cósmico".

A comédia que se desenrola na década de 1960 tem o próprio Woody Allen como protagonista, ao lado de Miley Cyrus e Elaine May. A experiência parece ter sido tão má para o realizador que, em entrevista ao Digital Spy, garantiu estar de relações cortadas com o pequeno ecrã: "Espero nunca mais ter de fazer isto enquanto estiver vivo".

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.