Os cinco 'flops' da Eurovisão de que ainda não parámos de falar

Houve mais para além da vitória de Salvador Sobral. E nem tudo foi bom

A vitória foi de Salvador Sobral foi histórica e, para Portugal, mais do que suficiente para não se falar de outra coisa. Mas na gala da Eurovisão que se realizou ontem, em Kiev, em quase quatro horas, houve muito para ver e ouvir, inclusivamente grandes "flops" que fizeram rir o público e mereceram muitos comentários nas redes sociais. Seguem cinco, mas para quem teve olhos e ouvidos atentos, certamente que houve muitos mais - como é natural em espetáculos em direto.

O desafinado participante espanhol

Manuel Navarro levava a onda "surfista", as boas vibrações, a música de praia. Mas o tema não teve grande acolhimento e terminou mesmo em último na Eurovisão. Não sem que os espanhóis tivessem levado as mãos à cabeça quando, durante a canção, o intérprete deixou escapar uma nota e teve um pequeno percalço que foi largamente documentado no Twitter.

O croata 2 em 1

Jacques Houdek, o participante da Croácia, presenteou a audiência com o tema My Friend, uma canção em que parece fazer um dueto consigo mesmo, consoante se encontrasse do lado esquerdo ou direito. Com uma voz poderosa, alternou a pop com o canto lírico, o fato com o casaco de cabedal. Resultou? Nem por isso. Pelo menos, não na pontuação.

Calças em baixo

Durante a atuação de Jamala, a ucraniana que em 2016 venceu o festival e levou a gala para Kiev, um australiano - ou pelo menos assim o parece, já que levava a bandeira da Austrália pelas costas - subiu ao palco e desceu as calças. "Um escândalo", escreveu a imprensa da Ucrânia. Jamala, porém, continuou a cantar até que a segurança obrigou o visitante inesperado a abandonar a performance.

Ar de Kardashian?

O reparo foi feito em vários jornais internacionais: os intérpretes da Eurovisão estão menos genuínos - obrigada Salvador! - mais plásticos, com um ar de quem acabou de chegar de um episódio do reality show da família Kardashian. O concorrente israelita, por exemplo, de face perfeita e músculos torneados, foi apenas um exemplo; o búlgaro de 17 anos que ficou em segundo lugar parecia primo do cantor Justin Bieber e os decotes pronunciados e vestidos com rachas profundas foram uma constante.

Noivas por todo o lado

A tendência foi iniciada logo na abertura, com a cantora polaca, e estendeu-se por todo o espetáculo: nas redes sociais, questionava-se se em Kiev haveria alguma loja com vestidos de noiva em promoção, já que muitas das intérpretes optaram pelo branco em vestidos compridos. A Moldávia levou a moda mais a sério e deu mesmo vestidos de noiva às três cantoras que faziam os coros do trio dos saxofones que ficou em terceiro lugar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG