National Geographic defende "encantador de cães"

O ataque de um bulldog a um porco no programa de Cesar Millan gerou uma onda de queixas

O canal norte-americano decidiu intervir na polémica em torno de Cesar Millan, conhecido mundialmente como o "encantador de cães", e o qual tem sido acusado de crueldade contra os animais. Face ao mediatismo que o caso tem tido, o National Geographic emitiu ontem um comunicado em defesa do apresentador de um dos seus programas, Cesar 911.

Neste formato, o mexicano de 46 anos trata de cães com comportamentos agressivos e foi esta semana alvo de várias queixas e acusações nas redes sociais e junto de associações dos direitos dos animais depois de um excerto do programa ter mostrado um bulldog terrier, chamado Simon, a atacar um porco que pertencia ao mesmo dono, quando Millan se deslocou à casa do proprietário.

O "encantador de cães" chegou a ser alvo de investigação por parte do Departamento de Proteção de Animais de Los Angeles, que ainda não divulgou qualquer conclusão sobre o assunto.

Agora, os responsáveis de National Geographic Channel apressaram-se a sair em defesa de Millan, garantindo que o excerto do programa "causou preocupação ao público que viu a situação fora do contexto geral."

Junto do comunicado, o canal disponibilizou um vídeo que mostra que o porco em questão foi tratado de imediato e se encontra bem de saúde. "Na sua carreira, o Cesar criou um ambiente seguro e controlado no seu centro de psicologia canina, onde conclui com êxito alguns dos mais extremos casos de reabilitação canina, como o de Simon. É importante esclarecer que o Cesar tomou as medidas necessárias, como colocar uma trela longa no Simon, para avaliar o seu comportamento, antes de fazer as primeiras correções comportamentais. O porco mordido por Simon foi prontamente socorrido, tendo ficado bem rapidamente, sem sinais de tensão", pode ler-se no comunicado.

Os responsáveis concluíram a mensagem explicando que o treino de Millan a Simon provou ser eficiente, "evitando que o cão se tenha de separar do dono ou ter que ser abatido".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG