Morreu Alberto da Ponte, antigo presidente da RTP

O ex-presidente do conselho de administração da RTP não resistiu a um cancro

O empresário Alberto da Ponte morreu este sábado, vítima de cancro. O ex-presidente do conselho de administração da RTP tinha 64 anos.

O corpo do antigo presidente da televisão pública vai estar hoje, a partir das 18:30, na igreja São João de Deus, na Praça de Londres, em Lisboa, e o funeral decorrerá na segunda-feira, às 15:00, no cemitério do Alto de São João.

Alberto da Ponte foi presidente executivo da Sociedade Central de Cervejas e Bebidas (SCC), dona da Água do Luso e da cerveja Sagres) entre 2004 e 2012. Foi neste ano nomeado para a presidência do conselho de administração da estação pública de televisão pelo então ministro da tutela, Miguel Relvas, onde permaneceu até 2015.

O mandato do gestor à frente da RTP ficou marcado por várias polémicas: o despedimento de Nuno Santos, no caso que ficou conhecido como "brutosgate" (e que viria posteriormente a um retratamento público do então presidente, num acordo extra judicial conseguido antes do duelo ir para tribunal), e os desentendimentos e braço de ferro final com o então ministro da tutela Poiares Maduro, que levou à renúncia do mandato na RTP há precisamente dois anos.

Considerado um homem de verbo fácil, Alberto da Ponte era também um homem polémico. Numa célebre entrevista à Notícias TV afirmou que na RTP havia "gente que não trabalha puto". Uma afirmação proferida em plena fase de reestruturação interna na empresa e que não caiu bem internamente.

Com uma visão "competitiva" do serviço público, acreditava que a RTP só poderia ser relevante com audiências, o que levou a que o Conselho Geral Independente, liderado por António Feijó, assim que foi empossado, tenha deixado claro que Alberto da Ponte não era o homem certo para a missão de recuperar a estação, propondo a sua destituição após ter chumbado o Projeto Estratégico apresentado pelo gestor.

Desde que saiu da RTP, Alberto da Ponte presidia a mesa da assembleia-geral da Sociedade Central de Cervejas e Bebidas, assumindo apenas funções de consultoria. Fazia ainda parte, desde 2005, do comité consultivo da The Fladgate Partnership, empresa responsável pela produção e comercialização de vinho do Porto de marcas como Taylor's, Fonseca e Croft.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG