José Alberto Carvalho reage a críticas: "O jornalista não é juiz"

Após a primeira parte da entrevista a José Sócrates, o pivô foi acusado de não ter feito questões essenciais. Sérgio Figueiredo, diretor de informação, elogiou a sua postura

"Numa entrevista como esta, a opinião que temos sobre José Sócrates é completamente irrelevante. Ele já foi julgado e isso é indiscutível. O jornalista não é juiz nem a televisão é o tribunal. Estamos apenas a fazer o nosso trabalho". José Alberto Carvalho reagiu desta forma às críticas que lhe foram apontadas, nas redes sociais e nas colunas de opinião de alguns jornais nacionais, sobre o modo como conduziu a entrevista ao antigo primeiro-ministro, na segunda-feira, na TVI.

Nessa primeira hora de conversa - a segunda parte foi transmitida no Jornal das 8 de ontem -, o pivô foi criticado por permitir que José Sócrates fizesse um "monólogo" sobre a atuação do Ministério Público, por ter sido pouco interventivo e ter deixado questões por responder.

"Em primeiro lugar, as pessoas ainda só viram a primeira parte da entrevista. Vou deixar que essas mesmas pessoas que têm criticado façam a sua análise quando virem a entrevista completa. Não vou fazer comentários sobre o que se diz nas redes sociais, onde as pessoas são do mais cobarde que há", afirma José Alberto Carvalho ao DN.

Quanto ao momento escolhido para fechar a emissão, numa altura em que Sócrates iria ser confrontado com as acusações de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais, o jornalista explica: "A TVI não interrompeu a entrevista. A TVI prosseguiu a entrevista exatamente com o mesmo tom e nas mesmas circunstâncias, como aliás se vai confirmar hoje [ontem]. Não vale a pena falar a meio. É como um jogador de futebol falar no intervalo do jogo".

Líder de audiências

Sérgio Figueiredo, diretor de informação da estação de Queluz de Baixo, dirigia ontem, numa coluna de opinião do DN, largos elogios ao entrevistador. "Um jornalista credível, um homem íntegro, um grande pivô de televisão, o melhor entre os pares, que viveu dias de enorme pressão no "antes" e não se deixou condicionar por juízos intimamente já formados. José Alberto Carvalho deu tempo, deixou falar, deu um exemplo de sobriedade e imparcialidade, enfim, um ato de coragem, num país em que o normal é encarar a entrevista como o momento para o entrevistador brilhar", escreveu.

A primeira parte da entrevista a José Sócrates no Jornal das 8, emitida esta segunda-feira, liderou as audiências nesse horário, com uma média de um milhão e 290 mil espectadores.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG