"Retornados" de África em 1975

Mais de meio milhão de pessoas chegaram a Portugal vindos de África entre o verão de 1974 e o de 1975. Chamaram-lhes os "retornados". A descolonização foi para eles o fim do sonho africano e começar de novo

Foi um ano de chegadas e de angústia. Calcula-se que entre o verão de 1974 e o de 1975 mais de meio milhão de portugueses de África tenham desembarcado no país, sobretudo em Lisboa. Pouco a pouco as ex-colónias iam-se tornando independentes, com Angola, em novembro de 1975, a ser a última. Chegaram de avião ou de barco e logo começaram a ser chamados de "retornados", nome que desagradava aos muitos que tinham já nascido em Angola, Moçambique, Guiné, Cabo Verde e São Tomé. O maior contingente veio de Angola, onde a guerra civil substituíra a guerra colonial e enchia páginas e páginas do DN. A 29 de agosto de 1975, o jornal tinha dois títulos que se completavam: "A situação em Angola - os três movimentos de libertação continuam a digladiar-se e aumenta o espectro da fome" e "Retornados das ex-colónias manifestam-se enquanto o governo decreta medidas de apoio - chegarão a Lisboa até fins de outubro mais de 300 mil portugueses vindos de Angola". Passadas quatro décadas, pode dizer-se que foi um sucesso a integração destes "retornados" na sociedade portuguesa. E quanto a África, desde que a paz chegou a Angola, em 2002, milhares de portugueses tentam de novo a sorte no país, desta vez como imigrantes, mesmo que muitos até tenham raízes lá.

Ler mais

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...