Twitter testa mensagens com o dobro do tamanho

Para já ainda só está disponível para um pequeno número de utilizadores

A rede social Twitter está a testar a possibilidade de se escreverem mensagens de 280 caracteres, o dobro do limite atual de 140 caracteres, a imagem de marca do grupo, anunciou a empresa esta terça-feira.

"Queremos que todos, em todo o mundo, se possam exprimir facilmente no Twitter, então estamos a fazer algo de novo: vamos tentar um limite maior, 280 carateres", indica o grupo, com sede em São Francisco (oeste dos Estados Unidos), no seu blogue oficial.

A extensão será apenas para as mensagens em carateres latinos e a empresa pretende inicialmente "testá-la junto de um pequeno grupo de pessoas antes de decidir generalizá-la", embora se declare "confiante" no "impacto positivo que a mudança terá".

O Twitter, que nunca teve lucros e que perdeu 116 milhões de dólares (98,3 milhões de euros) no segundo trimestre, tem de encontrar meios de atrair mais utilizadores, que estagnaram nos 328 milhões nos primeiros seis meses do ano.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.