'A Impostora'. Projeto ambicioso na despedida de Nicolau Breyner

O elenco da novela 'A Impostora', que se estreia este domingo, dia 4, na TVI, considera que este é um projeto especial e marcante por vários motivos, entre os quais o facto de ter sido a última novela de Nicolau Breyner

Foi um final de tarde com um misto de emoções. Por lado, a felicidade de ver um projeto concluído e prestes a estrear-se no pequeno ecrã. Por outro o facto de esse mesmo projeto ter sido o último em que Nicolau Breyner, que morreu a 14 de março, participou.

Tanto José Eduardo Moniz, diretor para a ficção da Media Capital, como Luís Cunha Velho, diretor-geral da TVI, aproveitaram para sublinhar a qualidade desta trama, assinada por António Barreira, deixando claro que "é uma novela muito bem feita, muito bem escrita" e "diferente" daquelas que a estação de Queluz de Baixo tem feito.

As atrizes Dalila Carmo e Fernanda Serrano, que a par de Diogo Infante assumem o papel de protagonistas desta novela, não esconderam que o projeto tornou-se ainda mais especial pelo facto de ter marcado a despedida de Nicolau Breyner.

Esta trama marca o regresso de Eunice Muñoz ao pequeno ecrã depois de a atriz, de 88 anos, ter estado afastada durante três anos devido a um cancro na tiroide.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Líderes

A União Europeia e a crise dos três M. May, Macron e Merkel

Já lhe chamam a crise dos três M. May, Macron e Merkel, líderes das três grandes potências da UE, estão em apuros. E dos grandes. Numa altura em que, a poucos meses das eleições para o Parlamento Europeu, florescem populismos e nacionalismos de toda a espécie, pela Europa e não só, a primeira-ministra do Reino Unido, o presidente de França e a chanceler da Alemanha enfrentam crises internas que enfraquecem a sua liderança e, por arrastamento, o processo de integração da UE.