Crianças refugiadas em Portugal em 1941

Portugal, país neutral e com ligações marítimas aos Estados Unidos, acolheu dezenas de milhares de refugiados durante a Segunda Guerra Mundial. Muitos eram crianças.

Foram múltiplos os embarques em Lisboa de crianças refugiadas para a América durante os anos de 1940 e 1941. Há em várias edições do DN referência a grupos de crianças que depois de uma temporada na Colónia Balnear Infantil O Século, em São Pedro do Estoril, partiram para a segurança dos Estados Unidos, país que então ainda era neutral e que de qualquer forma, tirando o Havai, nunca chegou a sentir a Segunda Guerra Mundial no seu território.

No jornal de 11 de junho de 1941, é noticiada a partida de um grupo a bordo do paquete Mouzinho, acenando com bandeiras portuguesas e americanas. O embaixador polaco distribuiu uma simbólica nota de um dólar a cada uma das crianças que eram do seu país.

Noutra edição, datada de 7 de setembro de 1941, é descrita a chegada a Lisboa de um grupo vindo de Marselha, que depois de fazer a travessia de barco até Barcelona cruzou toda a Espanha até Portugal. Oásis de paz, Portugal foi também escala para a América de gente adulta famosa como Marc Chagall ou Antoine de Saint-Exupéry. Muitos destes refugiados eram judeus, ajudados a escapar por diplomatas como Aristides de Sousa Mendes, cônsul em Bordéus, ou Sampaio Garrido, embaixador em Budapeste.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG